Para quem é o meu trabalho

Para quem tem vícios

Que tipo de vício você tem? Num primeiro momento você pode dizer, nenhum. Não bebo, não fumo, não uso drogas.

Leia essa história:

Um amigo que mora na Nova Zelândia me mandou um e-mail
no qual dizia que achava que ia morrer naquele ano. Imediatamente
liguei para ele para saber o que estava acontecendo e como ajudá-lo. Na
conversa, ele me confidenciou: “Estou viciado”. Para mim aquilo foi
muito estranho, pois ele sempre foi atleta e nunca bebeu nem fumou.
“Como assim?”, perguntei. Ao que ele respondeu: “Você sabe que no
Brasil eu era paraquedista, e que aqui na Nova Zelândia eu também faço
base jumping”. Ele continuou: “Até aí tudo bem, a questão é que no base
jumping o objetivo é ficar em queda livre o maior tempo possível e abrir
o paraquedas o mais perto do chão que puder. E quanto mais perto do
chão mais adrenalina. Já bati seis vezes meu recorde este ano”. Foi
quando ele começou a chorar: “Perdi meus dois melhores amigos nesse
esporte e acho que sou o próximo”. Sem compreender, eu disse: “Ué,
basta liberar o paraquedas longe do chão”. Ainda abalado ele disse: “Você
não está entendendo, estou viciado em adrenalina e em perigo. Eu não
consigo abrir minha mão e soltar o paraquedas até que eu tenha a carga
de adrenalina de que preciso. É vício. Foi assim que meus amigos morreram e eu serei o próximo.

Vícios emocionais que atrapalham no relacionamento

Listo aqui os vícios emocionais

Vitimização ( )
Raiva ( )
Problemas ( )
Estresse ( )
Controle ( )
Ajudar os outros ( )
Atividade constante/não se permitir parar ( )
Tristeza ( )
Doença ( )
Solidão ( )
Abandono ( )
Ser traído ou trair ( )
Ser pobre ou ter dificuldade financeira ( )
Eternos recomeços ( )
Ser maltratado ( )
Ser lesado ou passado para trás ( )
Medo ( )
Agradar aos outros ( )
Trabalhar e produzir compulsivamente ( )
Gastar dinheiro ( )

Agradar aos outros ( )
Trabalhar e produzir compulsivamente ( )
Gastar dinheiro ( )

Então, o que ocorre é que em menor ou maior escala todos nós somos viciados em alguma coisa.

O primeiro passo é admitir, o segundo, procurar compreender esse processo de viver viciado, e o que isso está te causando.

Com ajuda do meu trabalho, você vai descobrir como lidar com o seu vício, e poder fazer escolhas para dar mais sentido a sua vida.

Leia mais sobre para quem é meu trabalho:

https://www.apsicologiaonline.com.br/categoria-produto/projeto-arte-de-viver/

WhatsApp chat