• Home
  • Tag: psicoterapia

Convivendo com o crime, vestindo a rua de sangue!


Certamente é essa a sensação que  muitas pessoas possuem após o crime ocorrido na Escola, na cidade de Suzano, em Minas Gerais, uma rua vestida de sangue.

O que destacar?

Os dois garotos que planejaram?

Falar sobre a pesquisa que certamente fizeram para terem conhecimento de como concretizar a ideia? 

A menina que lutou corajosamente com um deles fugindo de sua mira e saindo viva da situação? 

Da cozinheira que pensou e colocou o maior número de alunos na cozinha, protegendo-os da ira dos garotos?

Talvez o ponto central fosse esse: eles estavam irados. 

A manchete  que causa  pânico na sociedade: Jovem provoca pânico em MG ao apoiar massacre em Suzano e ameaçar escola.  A sociedade se mobilizou, chamou a policia e ele foi preso, ele deixa isso escrito na sua rede social:

“Luto é meu p… eu devia ter feito isso na Ana Mendes tmb (sic)mas precisava ter um caminhão de munição para todo mundo que eu odeio lá, enfim, parabéns aos envolvidos”, disse. “To famoso no São Pedro de novo kkkkkkkk. F… esse lugar”, completou. 

O  neuropsicológo afirma :

“A divulgação pode potencializar algumas pessoas mais vulneráveis, sugestionáveis a querer reproduzir essa ação”, afirma Antonio Serafim, diretor da área de neuropsicologia do Hospital das Clínicas (HC).

A música do musico e compositor Gabriel Pensar diz:

“A gente pensa que é livre para falar tudo  que pensa

mas a gente sempre pensa um pouco antes de falar!

Pensa! O pensamento tem poder.

Mas não adiante só pensar. Você também tem que dizer!

Porque as palavras tem poder.

Mas, não adianta só falar. Você também tem que fazer! Faz!”

Música:  Se liga aí. (2001)

A falta de consciência nas pessoas de quem elas são, repercute mal nas suas atitudes. Pensar é poder, mas você tem que dizer, mas você tem que fazer.

Parece que os garotos não pensaram, não falaram e somente fizeram. Entrando assim no piloto automático. Jogaram, viveu um processo de identificação e passaram para ação. Não teve quem os barrassem, parece que nada os afetavam.

Suas atitudes podem transparecer o ódio contido em vista de sua não existência, todo mundo tem um pai, talvez eles tivessem, mas não era o suficiente.

Não tinham uma mãe boa suficientemente boa.

Então, de quem é a culpa?

Talvez da falta de casa, de estrutura, e essa falta já alguns anos vem acontecendo.

Fiz um atendimento para um adolescente de 10 anos,  ele não pensava, mas agia, agia para ser alguém, assustava as pessoas para amentrontar.  

O que seria oportuno ocorrer é o processo de autoconhecimento, que as famílias buscassem mais o diálogo e assim poderíamos ter esperanças em uma sociedade onde o amor fosse conhecido.

Pensar sempre, falar sempre, ter atitude baseada no processo de realização do bem.

Vamos fazer a corrente da atitude certa.

Ansiedade. Qual profissional devo procurar?

Psiquiatra? ou um Psicólogo?

O melhor é fazer o tratamento em conjunto. O psicólogo poderá lhe ajuda a compreender como seguir melhor seu tratamento, se há indicação e encaminhamento para uso de medicação que poderá ser prescrita por um psiquiatra.
Existem muitas causas para alguém desenvolver respostas de ansiedade. Vou falar mais sobre o tema para que você possa escolher melhores ideias para se ajudar no processo de cura.
Para poder acabar e tratar a ansiedade é importante não só entender o que é, mas como isso afeta sua vida diretamente, pois os sintomas podem variar de pessoa para pessoa. No geral, a ansiedade é a resposta a sentimentos e pensamentos que acompanham as pessoas ao longo da vida, ou seja, é algo normal, porém pode estar intensificado, causando mal estar e grande desconforto.

Ansiedade dosada é boa, em excesso faz mal. Ou seja, a ansiedade em si, não é mesmo o problema, mas a intensificação dos sintomas, sim, impedindo a pessoa de viver de forma plena e segura. É natural sentirmos ansiedade em determinados momentos, por exemplo, numa experiência nova, como uma prova, um teste, ou algo que temos que expor uma ideia ou apresentação.
Mas esse sentimento é negativo ou paralisante, algo está errado. A ansiedade pode causar muitos sintomas físicos ruins, além dos emocionais que afetam a qualidade das ideias, escolhas e ações.
Muitas pessoas sentem-se ansiosa por não saberem lidar com o grau de exigência pessoal, por não conseguir organizar-se dentro do tempo necessário para as coisas e também pela preocupação excessiva com o futuro. Quem perde o foco no agora, pode ficar mais preocupado e ansioso. Pode parecer um pouco difícil tratar e se livrar de vez da ansiedade, mas com um pouco de disciplina, auto percepção, tratamento especializado, você poderá se curar e sentir-se bem melhor com isso tudo. Algumas pessoas, aprendem esse comportamento, por exemplo, com os pais, sem perceber que essa não é a melhor resposta a ser dada. Quando se está com medo, também há uma resposta de ansiedade. Assim, como a impaciência e nervosismo.


O transtorno da ansiedade generalizada, é um distúrbio caracterizado por sintomas, como:


– mente agitada;– preocupação excessiva com o futuro;– coração acelerado;– tremor nas mãos;– tremor nas pernas;– tremor no corpo;– expectativa negativa sobre algo;– angústia e apreensão;– dificuldade de controlar pensamentos acelerados;– cansaço excessivo;– dificuldade de concentração;– humor alterado;– irritação (falta de paciência) – que pode levar a brigas e desentendimentos;– agressividade;– rubor;– suor excessivo;– tensão muscular;– dificuldade de relaxar;– ações compulsivas e impensadas;– ganho ou perda de peso.
O ideal é você entender quais pontos lhe causam maior preocupação. Como você lida com a ansiedade do seu dia a dia? Como você tem organizado suas ações para que possa combater a tensão?
Para alívio e cura dos sintomas, sugiro técnicas de relaxamento corporal, respiração, atividade física, hipnose, meditação, psicoterapia e uma boa avaliação com um médico ou psicólogo que será capaz de indicar um tratamento qualificado para você.
Uma dessas técnicas, como a hipnose, por exemplo, ou mais quando combinadas e indicadas por um profissional qualificado surtirá efeito na cura e bem estar.

TEXTO ORIGINAL DE MINHA VIDA

Fonte: Psicologias do Brasil

Clínica social

O que é?

Psicologia ao alcance de todos.

psicoterapia

A clínica social tem o objetivo de alcançar pessoas que necessitam de psicoterapia.

É uma proposta que tem como objetivo tornar possivel o atendimento psicoterapêutico a pessoas que não podem arcar financeiramente com um tratamento particular, através da prestação de um serviço de qualidade a custo de honorários simbólicos. O valor a ser pago será negociado segundo as condições de cada cliente, diretamente com o terapeuta.

A quem se destina a Clínica Social?

As pessoas que normalmente estão excluídas por razões financeiras do acesso ao atendimento psicoterapêutico, do qual podem participar crianças, adolescentes, adultos e idosos. E as vezes demoraram ser atendidas na rede social.

Como Funciona a Clínica Social? 

O Consulente passa por uma triagem inicial*, e em seguida  o psicólogo realizará uma avaliação a cerca da necessidade do atendimento, podendo encaminhar o consulente para atendimento individual ou em grupo.

Os atendimentos serão realizados no consultório particular do terapeuta tendo em consideração a sua disponibilidade de horários e localização.

Os interessados deverão entrar em contato com o terapeuta pelo telefone (037) 998265019 quando será agendada uma entrevista e o encaminhamento.

*A triagem encaminhará primeiramente os casos com maior necessidade psicológica e financeira.

Maria de Lourdes Batista CRP 04/34969

Qual o seu grau de descontrole emocional?

Você sabia?

desequilíbrio emocional é caracterizado pelas alterações de humor e facilidade em “sair do eixo” diante de acontecimentos negativos e imprevistos. As responsabilidades diárias, a sobrecarga profissional, os relacionamentos amorosos, as frustrações e a necessidade de se adequar aos padrões impostos pela sociedade são alguns fatores que podem causar sérios desequilíbrios. O descontrole emocional pode ser acompanhado por arrependimentos, que por vezes vemos irremediáveis. Não é possível voltar atrás e no tempo, mudar ações impensadas ou precipitadas. Mas você pode começar a ver tudo de outra forma, pode tirar proveito dessas situações ao invés de ficar remoendo e sofrendo.

Temperamento forte ou transtorno bipolar?

Saiba que e os dois podem estar ligados. E você pode estar sofrendo desse mal, que se não identificado e tratado pode te ocasionar a vários problemas. Temperamento forte pode significar uma pessoa que sabe o que quer, mas também significa uma pessoa muito difícil de lidar. Quando este temperamento incorre em descontrole emocional? Uma das possibilidades para entender esta pessoa seria o diagnóstico do transtorno bipolar.

A bipolaridade é um transtorno mental onde a pessoa não reage ao que acontece da forma que se espera, não responde proporcionalmente a ocasião, ou ela fica muito agitada, agressiva, explosiva, impulsiva e distraída, e sem se ter nada que justifique essas reações, ou em outros momentos o comportamento é apático, desanimado, triste, ansioso, não sente prazer nas coisas e isso também em situações onde não há elementos que justifiquem estas ações.

Quando os sintomas são mais brandos dizemos que a pessoa tem episódios de descontrole emocional, mas quando são tão intensos a ponto de causar graves prejuízos pessoais pode caracterizar um transtorno bipolar. Algumas pessoas são mais sensíveis e estão mais suscetíveis a esses acontecimentos, mas isso não quer dizer que não pode acontecer com qualquer pessoa. As emoções estão presentes em todas as situações da vida, e quando elas estão em desarmonia, podem fazer com que você se porte de maneira inadequada e tenha prejuízos em sua saúde e relacionamentos.

O desequilíbrio emocional não é responsável apenas por causar sintomas mentais e sentimentais. Ele pode causar diversos problemas físicos, tais como: fortes dores musculares, dores de cabeça, gastrite, estresse e até mesmo depressão. Saiba que nossa mente é a maior responsável por nossa felicidade, nossa saúde, nossas conquistas… Tudo começa na mente. Trabalhe sua mente e as causas de seu desequilíbrio.

Preste atenção no que está causando o seu desequilíbrio emocional.

Pode ser o excesso de trabalho, algum problema pessoal, em relacionamentos, ou de saúde. Até mesmo os traumas não tratados, podem levar ao desequilíbrio emocional e até a bipolaridade. Somos tendenciados a esconder problemas e fazer de conta que nada está acontecendo. Tente descobrir o que está  deixando o seu emocional abalado e encontre alternativas de entrar novamente no eixo. Busque um amigo, e também um psicólogo.

Seja autoconfiante. Seu estado de desequilíbrio emocional não pode e nem deve afetar sua confiança, seu potencial e suas qualidades. Você pode, você consegue  e você é incrível. Todos nos podemos hoje, ser melhores que ontem. Volte e retome o controle, domine a raiva, pense positivo, não deixe que a tristeza e os sentimentos que te fazem mal dominem você. Pense nos motivos que você tem para agradecer e ser feliz.

Seja otimista. Ninguém gosta de estar ao lado de pessoas negativas, que reclamam o tempo todo. Pessoas negativas geram ambientes negativos. Se você está sempre com pensamentos negativos, isso vai piorar ainda mais o quadro emocional. Tente pensar positivo e emanar energias positivas. Seu emocional irá agradecer.

Inteligência Emocional é a capacidade de sentir, entender, controlar e modificar o seu próprio estado emocional ou de outra pessoa.  Invista em você, invista na terapia. Ela irá te ajudar a viver leve e feliz.

 

Você tem medo da solidão?

Nenhum homem é uma ilha. Esta é uma frase muito popular, e é extremamente comum encontrarmos pessoas com medo da solidão, e que vivem na solidão, pois não sabem como lidar com ela. A solidão conduz ao sentimento de vazio, se sentindo sozinho e indesejado. Nestas situações, as pessoas anseiam o contato humano, porém, a forma como se sente, faz com que seja muito difícil conectar-se com os outros. A solidão não é necessariamente sobre estar sozinho, pelo contrário, é a percepção de estar sozinho e isolado sendo que existem varias pessoas ao seu redor.

O medo da solidão impede de conviver com a sociedade, de manter relacionamentos saudáveis e até mesmo de amar. Pensando também no futuro. Pessoas solitárias por vezes tem o pensamento de não poder se apegar ao outro, criar raízes, por medo que algum dia o outro venha a abandoná-lo. Cria-se ai uma barreira enorme nas relações.

O estado de solidão, faz com que o solitário, seja cercado por pessoas que o amam e estão sempre ali.  Mas, devido a este sentimento estar cada vez mais presente, se torna impossível que o solitário note e saiba receber o amor, a atenção e o cuidado que os outros lhe oferecem. Sempre haverá uma barreirar invisível, um bloqueio ao qual precisa ser tratado. Precisamos descobrir qual trauma fez com que aquela pessoa gerasse esse medo, e estado de solidão.

Quantas vezes você já se sentiu sozinho em uma sala cheia de gente?

Quando este sentimento de solidão, esta a tona, e o medo insiste em se manter ali, é preciso fazer um mapeamento, a fim de descobrir quando ele aparece com mais intensidade em sua vida, em quais situações está presente e em quais desaparece.

É preciso saber até quando você consegue controlá-lo ou se é ele que controla você. Mapear seu sentimento irá te auxiliar na jornada de autoconhecimento, autodesenvolvimento  e também a lidar melhor com os momentos de solidão.

Temos algumas dicas que podem te ajudar a controlar a solidão:

– Permita-se aceitar que a solidão é um sinal de que algo precisa mudar;

– Compreenda os efeitos que a solidão tem na sua vida, tanto física como mentalmente;

– Faça serviço comunitário ou outra atividade que goste. Estes contextos oferecem oportunidades para conhecer pessoas novas e cultivar novas amizades e interações sociais;

– Foque-se no desenvolvimento de relacionamentos com pessoas que partilham atitudes, interesses e valores semelhantes aos seus, busque também inspirações, faça meditação;

– Espere o melhor. Pessoas solitárias muitas vezes esperam rejeição, por isso, concentre-se em pensamentos e atitudes positivos nos seus relacionamentos sociais.

Todos precisam de contato! O ser humano é movido por relacionamentos. Uma vida social é fundamental para que sejamos plenos. Vida social, não é o mesmo que um relacionamento forçado apenas para não se sentir sozinho. Lembre-se disso.

Saiba que a solidão esta ligada a depressão, síndrome do pânico, fobia social, crises de ansiedade, traumas e timidez…

Sendo assim, se você sente está apresentando estes sintomas e se sente muito solitário, algo está errado. Procure um psicólogo e ele irá te auxiliar a descobrir de onde vem esse sentimento de solidão e todos os outros que costumam acompanhá-lo. Saiba que para tudo há um tratamento.

Seja feliz! Faça terapia!

Envie um e-mail para nós.

CARÊNCIA AFETIVA

O ato de dar ou receber carinho, amor e ter afeto por alguém representa a capacidade de nos relacionarmos com o outro. Existindo, pessoas que são incapazes de dar ou receber carinho, e outras que exageradamente se tornam dependentes do outro para ser feliz.  Uma pessoa carente afetivamente, faz com que sua felicidade e tristeza esteja ligada única e exclusivamente com a relação que tem com o outro, seja pai, mãe, namorado (a), esposa (o).  Depositar todas as  suas expectativas no outro pode ser frustrante para você e um peso na vida do outro.

Tudo que somos hoje, nossas ações, emoções, estão ligadas a qualidade de nossas relações primárias, lá quando somos crianças e desenvolvemos nossa primeira relação de afeto, amor e carinho, muitas vezes pelos nossos pais.

Com isso podemos ver dois fatores de carência afetiva.

  • Quando crianças, o excesso de carinho e cuidado pode fazer com que gere uma dependência em nossos pais, o qual não sabemos se quer tomar decisões sem o auxilio deles, futuramente isso pode se manter e além de ter dependência dos pais, podemos ter do namorado (a), da esposa (o) e dos filhos…  Fazendo com que sempre busquemos nos outros algo para ser feliz e completos.
  • Por outro lado, está a falta de cuidado quando criança, o abandono, que pode fazer com que sejamos incapazes de dar ou receber o afeto que não tivemos na infância. Um trauma que se arrasta por uma vida adulta, dificultando os relacionamentos.
  • O trauma psicológico é um tipo de dano emocional que ocorre como resultado de um algum acontecimento. Pressupõe uma experiência de dor e sofrimento emocional ou físico.

Alguns sintomas em comum de carência afetiva:

  • Zelo em excesso;
  • Ciúmes desmedidos;
  • Necessidade de atenção;
  • Dependência emocional;
  • Submissão;
  • Medo e fobias;
  • Falta de objetivos pessoais;
  • Inferioridade;
  • Incapacidade de dar e receber.

Se você se identifica com alguns quesitos, saiba como tratar a carência. Para tudo tem uma solução.

Aprenda a ficar sozinho, a se sentir bem com sua própria companhia, a confiar mais em você, a perdoar, eliminar da sua mente traumas passados.

Saiba amar muitas pessoas de formas diferentas, não dependa único e exclusivamente de uma só pessoa para ser feliz. Dependa de você, busque depositar suas expectativas em você e busque também supri-las.

Ame-se , você e capaz de amar o outro com todos os seus defeitos e qualidades, então você é capaz de se amar como esta hoje.

Reconheça-se, reconheça seu valor, suas conquistas, seu papel no ambiente de trabalho, em casa e no mundo. Dê presentes a você, agrade-se, mime-se. Dê a você tudo aquilo que busca dar ao outro, desde um simples elogio a uma viagem de férias.

A carência afetiva está enraizada no desejo de suprir vazios interiores, por falta de amor próprio. Se você quer começar a se amar, precisa olhar para você e para sua história de vida e eu sei como lhe ajudar.

Caso não consiga sair sozinho dessa situação  busque ajuda.

Acesse: http://www.apsicologiaonline.com.br/atendimento-online/

 

Cocaína e Depressão

A primeira informação, que se faz necessária para entender essa questão, é que as vezes é difícil para os usuários entender , que essa substância causa euforia intensa e rápida para logo em seguida promover uma depressão profunda.

O que é droga?

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), droga é qualquer substância química que altera a função biológica.

O que é a cocaína?

A cocaína é uma substância natural, extraída das folhas de uma planta encontrada exclusivamente na América do Sul, a Erythroxylon coca, conhecida como coca ou epadu, este último nome dado pelos índios brasileiros. A cocaína pode chegar até o consumidor sob a forma de um sal, o cloridrato de cocaína, o “pó”, “farinha”, “neve” ou “branquinha”, que é solúvel em água e serve para ser aspirado (“cafungado”)ou dissolvido em água para uso intravenoso (“pelos canos”, “baque”), ou sob a forma de base, o crack, que é pouco solúvel em água, mas que se volatiliza quando aquecida e, portanto, é fumada em “cachimbos”.

Efeitos tóxicos 

A tendência do usuário é aumentar a dose da droga na tentativa de sentir efeitos mais intensos. Em  quantidades maiores acabam por levar o usuário a comportamento violento, causa  irritabilidade, tremores e atitudes bizarras devido ao aparecimento de paranoia (chamada entre eles de “nóia”).  Eventualmente, podem ter alucinações e delírios. A esse  conjunto de sintomas dá-se o nome de “psicose cocaínica”. Além dos sintomas  descritos, o craquero e o usuário de merla perdem de forma muito marcante o interesse sexual.

Efeitos sobre outras partes do corpo

Os efeitos provocados pela cocaína ocorrem por todas as vias (aspirada, inalada,endovenosa). Assim, o crack e a merla podem produzir aumento das pupilas , que prejudica a visão; é a chamada “visão borrada”. Ainda pode provocar dor no peito, contrações musculares, convulsões e até coma. Mas é sobre o sistema cardiovascular que os efeitos são mais intensos. A pressão arterial pode elevar- se e o coração pode bater muito mais rapidamente (taquicardia). Em casos extremos, chega a produzir parada cardíaca por fibrilação ventricular. A morte também pode ocorrer devido à diminuição de atividade de centros cerebrais que controlam a respiração. O uso crônico da cocaína pode levar a degeneração irreversível dos músculos esqueléticos, conhecida como rabdomiólise.

 

Busque ajuda!

Muitas vezes, devido ao consumo de droga, o usuário coloca em risco aspectos importantes de sua vida, tais como família, emprego, saúde. Além disso pode não perceber os problemas decorrentes deste uso ou mesmo negá-los. Nesses momentos, não é raro os membros da família apresentarem sentimentos de raiva ou impotência frente ao usuário ou a situação. Essas ocasiões deveriam se transformar em buscas de ajuda em unidades de saúde, conversas com um profissional e pessoas de referência na sua comunidade, adesão a grupos de ajuda e cursos.

Atendimento Online

  Veja o vídeo que mostra o funcionamento da cocaína no sistema nervoso central

WhatsApp chat