• Home
  • Tag: escolhas

Áudio Post

Encanto e desencanto de nossas escolhas

Este podcast é o primeiro sobre o Encanto e o desencanto de nossas escolhas, se trata de orientação profissional e sobre as escolhas que fazemos em nossa vida, algumas vezes causando insegurança, dúvidas e medos.

Algo fundamental em nossa vida é o encanto, uma reação necessária que provoca uma sensação de interesse intenso.

Como você faz a suas escolhas?

Ouça pra saber mais.

https://www.apsicologiaonline.com.br/wp-content/uploads/2019/07/Encanto-e-desencanto-das-nossas-escolhas-3.m4a

Arte de Viver, é possível vencer a ansiedade.

“Seja como um selo dos correios, cole-se a uma coisa até chegar ao seu destino.


A Ansiedade às vezes é porque vivemos no passado, e as vezes no futuro, e nem sempre conseguimos viver o presente.

Hoje a dica é simples, mas eficaz, busque encontrar metas para desenvolver suas habilidades e conseguir realizar seus sonhos.

Se você não sonha, algo está te impedindo, faça um processo de autoconhecimento.

Para quem é o meu trabalho

Para quem tem vícios

Que tipo de vício você tem? Num primeiro momento você pode dizer, nenhum. Não bebo, não fumo, não uso drogas.

Leia essa história:

Um amigo que mora na Nova Zelândia me mandou um e-mail
no qual dizia que achava que ia morrer naquele ano. Imediatamente
liguei para ele para saber o que estava acontecendo e como ajudá-lo. Na
conversa, ele me confidenciou: “Estou viciado”. Para mim aquilo foi
muito estranho, pois ele sempre foi atleta e nunca bebeu nem fumou.
“Como assim?”, perguntei. Ao que ele respondeu: “Você sabe que no
Brasil eu era paraquedista, e que aqui na Nova Zelândia eu também faço
base jumping”. Ele continuou: “Até aí tudo bem, a questão é que no base
jumping o objetivo é ficar em queda livre o maior tempo possível e abrir
o paraquedas o mais perto do chão que puder. E quanto mais perto do
chão mais adrenalina. Já bati seis vezes meu recorde este ano”. Foi
quando ele começou a chorar: “Perdi meus dois melhores amigos nesse
esporte e acho que sou o próximo”. Sem compreender, eu disse: “Ué,
basta liberar o paraquedas longe do chão”. Ainda abalado ele disse: “Você
não está entendendo, estou viciado em adrenalina e em perigo. Eu não
consigo abrir minha mão e soltar o paraquedas até que eu tenha a carga
de adrenalina de que preciso. É vício. Foi assim que meus amigos morreram e eu serei o próximo.

Vícios emocionais que atrapalham no relacionamento

Listo aqui os vícios emocionais

Vitimização ( )
Raiva ( )
Problemas ( )
Estresse ( )
Controle ( )
Ajudar os outros ( )
Atividade constante/não se permitir parar ( )
Tristeza ( )
Doença ( )
Solidão ( )
Abandono ( )
Ser traído ou trair ( )
Ser pobre ou ter dificuldade financeira ( )
Eternos recomeços ( )
Ser maltratado ( )
Ser lesado ou passado para trás ( )
Medo ( )
Agradar aos outros ( )
Trabalhar e produzir compulsivamente ( )
Gastar dinheiro ( )

Agradar aos outros ( )
Trabalhar e produzir compulsivamente ( )
Gastar dinheiro ( )

Então, o que ocorre é que em menor ou maior escala todos nós somos viciados em alguma coisa.

O primeiro passo é admitir, o segundo, procurar compreender esse processo de viver viciado, e o que isso está te causando.

Com ajuda do meu trabalho, você vai descobrir como lidar com o seu vício, e poder fazer escolhas para dar mais sentido a sua vida.

Leia mais sobre para quem é meu trabalho:

https://www.apsicologiaonline.com.br/categoria-produto/projeto-arte-de-viver/

De que lado você está?

Pensando na dificuldade de tomar decisões, lendo essa história percebi que seria interessante publica-la no meu site para você tomar consciência do que seja passado, presente e futuro. As vezes é difícil compreender esses movimentos, confesso que por vezes tive essa dificuldade de deixar o passado no passado para bem viver o momento presente. Agora leia a história.
Caro leitor (a), peço que leia a história que conto e me diga sob o comando de qual dos dois você gostaria de estar. Ambos os generais estão em um campo de batalha cheio de desafios e problemas gigantescos. O primeiro, porém, olha para o passado e aprende com os erros e as perdas, além de comemorar as vitórias e as conquistas. Esse mesmo general age no presente como se houvesse um superpropósito a ser conquistado no futuro, fazendo tudo, absolutamente tudo o que está ao seu alcance agora. Você não verá esse general se lamentando ou perdendo tempo com qualquer coisa improdutiva ou ineficaz. E quando ele olha para o futuro, só tem uma coisa em sua mente: a vitória. Ele compartilha essa visão de futuro com sua tropa então deixa ninguém ficar olhando para trás (passado de dor) nem para o chão (presente improdutivo). Todos olham para o alto e para a frente (futuro positivo).Toda a sua tropa sabe para onde está indo e o propósito de tudo isso. E mesmo na guerra, eles se sentem seguros com seu general.Já o segundo general teve vitórias no passado, mas se detém mais nas lembranças das derrotas. No presente, ele se questiona se vale a pena todo o esforço e o risco, e se pergunta: “Será que vamos vencer?Será que vamos suportar? Será que vale a pena? Seu olhar normalmente está voltado para trás (passado de perdas) e, em outros momentos, para o chão (presente improdutivo), sem saber o que fazer naquele momento.E quanto ao futuro, as imagens se confundem: uma hora vem a imagem de uma rendição; em outro momento vem a imagem da derrota; em seguida vem a imagem da batalha e da morte de muitos de seus soldados.”Reflita e me diga: Qual dos dois generais você,gostaria de seguir?A vida é feita de boas escolhas.” Vá em frente.
Fonte: Paulo Vieira.

Como lido com as minhas perdas?

Encontrei essa frase em um artigo: “Quando a vida nos coloca uma oportunidade, sugerindo deixarmos o estado de segurança e conforto em que nos encontrávamos, fazer uma escolha pode não ser algo simples. A proporção da mudança será maior ou menor segundo seja a disposição do ser em correr riscos.” A expressão correr riscos chama atenção em vista de fazer um convite; saia da sua zona de conforto, expressão que também se tornou habitual.

Em toda escolha há perdas e ganhos, portanto, uma escolha é também uma renúncia.

Quando percebemos que vamos perder algo diante de uma escolha, as vezes não realizamos tal escolha, não buscamos tal consciência e assim deixamos a vida no levar.

Veja essa informação: “Estudos mostram que, em média, 70 decisões são tomadas em um dia comum, ou seja, estamos fazendo escolhas a todo momento, escolhemos o que comer, que roupa vestir, o modo como nos comportaremos, o que vamos falar, e de que maneira falar. É claro que se pode classificar as escolhas mediante seu grau de complexidade, tendo-se em conta o tamanho de sua repercussão na vida.”

É certo que todo ser humano tem em si mesmo a capacidade de perceber o que deve ou não fazer. Porém, procrastinamos e perdemos o foco, deixando de lado o essencial.

O essencial.

As vezes não conseguimos dar nome para o essencial, é preciso fazer um processo de autoconsciência para viver com o essencial e perceber os ganhos obtidos.

É preciso abrir mão do que não presta e nos dedicar àquilo que é essencial.

Como você lida com as perdas?

Deixe aqui seu comentário.

 

 Quem tem comandado sua mente?

Use o poder de sua mente a seu favor

Quem tem comandado sua mente?

Você tem usado a sua mente a seu favor?

Tudo tem início na mente, um pensamento positivo ou negativo pode dizer muito sobre você, e pode também, te conduzir por um caminho ao qual, você queira ou não trilhar.   Limpe sua mente de toda a manipulação dos outros e da sociedade, de situações tóxicas também.

ABRA sua mente para receber coisas que vão te acrescentar, seja na sua vida, na sua família e no seu ambiente de trabalho.

Pense positivo!  Pense por você!

 Seja aquele que tem o controle da sua mente. Ela não pode, e nem deve ser controlada pelos  pensamentos dos outros. Ela pode intervir em tudo, sejam em relacionamentos, situações inusitadas, problemas e até mesmo em sua saúde. Saiba que tudo tem dois caminhos, dois lados e cabe a você decidir, se quer um caminho leve ou pesado, fácil ou difícil. Nos dias atuais, tem sido mais fácil reclamar da vida, dos problemas… Você já pensou em mudar o seu jeito de agir e pensar?

Tenha ciência, que se você tem motivos para reclamar, também tem para agradecer. Portanto, comece a abrir sua mente e veja as coisas boas ao seu redor, perceba também o valor das  pequenas coisas. As coisas tem o tamanho que você enxerga.

Busque inspiração nas pessoas.

Veja que ao seu redor, existem pessoas com problemas maiores que o seu e nem por isso só enxergam o problema. Procure ver o lado bom das pessoas, busque exemplos em pessoas em que você vê verdade e felicidade, que saibam conviver com os problemas, sem que eles se tornem tudo de  negativo.

Tudo que você  absolver, automaticamente transparecerá nas suas atitudes. Tenha  coisas boas e seja  produtivo. Se sua mente vive atribulada, negativa, solitária, sua saúde também irá transparecer isso.

Não perca o controle. Elimine os traumas, elimine a dependência, busque autoconhecimento, autocontrole e auto responsabilidade.

Busque ajuda para lidar com todas as situações de seu dia. Fale, expresse, tenha alguém para conversar e te ajudar a ter uma mente saudável, forte e positiva.

http://Acesse: http://www.apsicologiaonline.com.br/atendimento-online/

WhatsApp chat