Como lidar com o preconceito?

O meu trabalho como psicóloga é ajudar os pais a terem relações mais saudáveis com os seus filhos.

Diante do meu percurso, percebi que um dos problemas são os conflitos das crianças e adolescentes, que acabam trazendo para o sistema familiar grandes dificuldades de interagir, ou seja de ter um ambiente saudável, ou até mesmo as tentativas que os pais tem de resolver as questões e não conseguindo acaba piorando o quadro. O que era um problema se torna uma dificuldade, e logo após se torna uma doença.

Entendendo os conflitos Familiares

Gosto de trabalhar com histórias para ilustrar os conflitos. Assisti o filme Crusch à Altura e achei muito oportuno o enredo do filme, leiam abaixo o resumo:

Filme : Crush à Altura

Nova comédia romântica,  Crush à Altura tem uma trama bem peculiar. O filme conta a história de Jodi, uma garota de 16 anos que tem dificuldades em se encaixar na escola – e em sua vida amorosa, pelo fato de ter 1,85 metro de altura e ser considerada extremamente alta.

Porém, tudo muda com a chegada de um estudante de intercâmbio sueco, que tem a mesma altura de Jodi e desperta um interesse romântico na garota. A trama de Crush à Altura gira em torno de Jodi tentando impressionar o rapaz enquanto enfrenta a concorrência das outras estudantes de seu colégio.

Nesta trama os pais não conseguiam ajudar sua filha, mas buscavam na tentativa de acertos e erros encontrar uma solução.

Ela tinha poucos amigos, e um gostava dela, somente era mais baixo do que ela.

E ai???

No desenvolvimento do filme a artista principal entendi que ser alta não interferia no seu namoro com alguém mais baixo, desde que houvesse uma boa relação, respeito e amor.

As vezes na vida real os adolescentes não tem um final feliz como neste filme.

Por isto pais, fiquem atentos de como ajudar os seus filhos a resolverem suas questões.

Fico por aqui.

Deixo a dica: entender o desenvolvimento do seu filho(a) é fator de prevenção ao uso indevido do álcool e outras drogas.

E também ajuda-o a não ficar parado na vida com medo do amanhã.

Pois o ansioso não vive bem o dia de hoje, esperando que o amanhã seja melhor.

Maria de Lourdes Batista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat