• Home
  • Archive by category "Terapias Expressivas."

Identidade do adolescente


Deixo esta dica de filme hoje para você leitor.

Quem assistiu Anne?
É extraordinária está mini série.

Como as pessoas podem se realizar, se seus traumas estão latentes?
Como educar filhos?
Enfim, é uma aula de amor, amizade e liberdade.

Veja abertura da série

A abertura de Anne with an E simboliza as fases vividas por Anne ao longo da história. Nela se passam as quatro estações, iniciando no inverno, simbolizando o passado de Anne no orfanato e em lares abusivos, e vai mudando para as estações mais floridas e iluminadas, simbolizando a nova vida da órfã em Green Gables.

A arte em que a Anne está fazendo o juramento do dedinho com ela mesma, simboliza a auto aceitação de suas personalidades: “De um lado, o cabelo dela é um pouco mais trançado, e do outro lado as tranças são um pouco mais soltas e selvagens. Simboliza as duas naturezas de Anne”, explicou o diretor Alan Willians.

Precisamos fazer este contrato conosco mesmo, autoaceitaçao e autoconhecimento fazem parte da nossa história.

Se tiver dificuldades entre em contato conosco.

Conexão nas relações

Trabalhando as Emoções

Muitas interferências nos relacionamentos são por causa da falta de comunicação. Ela é uma ação, é uma via de mão dupla que favorece o crescimento de ambos, seja no namoro, no casamento, na empresa, aonde você estiver a boa comunicação ajudará.

Podemos dizer que quando comunico algo de verdade, acabo ajudando o outro a ser melhor.

E quando a comunicação não é eficaz?

1.Quando não trabalho as minhas emoções.

2.Quando deixo de nomear as minhas qualidades, podemos dizer “potencialidades”.

3.Quando vivo a partir da minha sensibilidade, que me deixa sem energia, sem entusiasmo para agir.

As Emoções

emoção é as vezes definida como um sentimento que resulta em mudanças físicas e psicológicas que influenciam o pensamento e o comportamento.

Elas são nossa forma de expressão e às vezes podem ser mais importantes que as palavras. Se as palavras não forem acompanhadas por emoções adequadas, dificilmente receberão crédito.

Quando refletimos cuidadosamente sobre a importância das nossas emoções, percebemos que em muitas as situações, elas influenciam decisivamente na nossa vida, e por vezes não temos consciência disto. 

É importante reconhecer a maneira como nosso estado de espírito afeta o nosso comportamento, quais são as nossas qualidades e quais são os nossos pontos negativos.

Precisamos fazer um processo de autoconhecimento pois as vezes as nossas emoções podem nos dominar.

É preciso saber que as necessidades humanas vão muito mais além que as necessidades fisiológicas, como as comidas e as bebidas. Elas envolvem outras necessidades de caráter emocional.

Trabalhar as emoções através da arte

Fazer a conexão entre você e os outros com o auxílio das terapias expressivas.

Como?

Através da arte melhoramos nossa capacidade de comunicação não verbal. A arte pode nos ajudar a expressar e comunicar sentimentos, facilitando a reflexão, a comunicação e possíveis mudanças no comportamento.

O que é as Terapias Expressivas?

Para compreender as terapias expressivas, é preciso primeiramente conceituar a arte para buscar os conceitos teóricos que norteiam o emprego técnico de recursos expressivos ou artísticos. 

Arte, palavra de origem latina  “ars” significa técnica ou habilidade.

O dicionário Houaiss, vai dizer que arte é a produção consciente de obras, formas ou objetos voltada para a concretização de um ideal de beleza e harmonia ou para a expressão da subjetividade humana.

Então, as terapias expressivas é a utilização e estímulo de expressões não verbais em contexto terapêutico, com a finalidade de promover o desenvolvimento de competências humanas.

Terapias Expressivas: é a expressão do indivíduo, do seu íntimo, e do seu consciente.

Em resumo, é a sua forma de falar, o que você não consegui através das palavras, dai seu desenho, as cores vão falar para você ou com você.


Maiores informações entre em contato

[email protected]

Meu Filho é desatento.

Uma mãe me enviou um e-mail com essa questão, de desatenção.

Vamos entender um pouco mais sobre a desatenção.

A distração, a desatenção e falta de concentração poderá ocorrer na criança por falta de organização e foco.

Desatenção é sintoma do TDAH

E o que é isto afinal?

Distração tem dois significados principais. O primeiro é diversão, lazer. O segundo é falta de atenção, pouca concentração.

Prestar atenção, significa inibir distrações, de forma flexível e de acordo com as necessidades de cada tarefa. No TDAH, estas capacidades estão prejudicadas. É necessário auxiliar a criança no gerenciamento das suas atividades.

As capacidades de atenção e memória de curto prazo são as funções cognitivas mais suscetíveis à influência prejudicial de fatores internos ou externos. Nesse sentido, torna-se ainda mais complexo buscar explicações para os problemas de atenção, em todas as suas formas. A saber: Distração (dificuldade em fechar o foco), em sustentar o esforço e flexibilidade cognitiva.

Um ponto importante.

Insegurança, dificuldades de escolher, baixa autoestima, são situações que comprometem o desenvolvimento da criança.

A desatenção é a capacidade limitada de permanecer atento por um tempo necessário para realizar ou compreender determinada tarefa.

É importante reforçar que para considerarmos a falta de atenção como um sintoma de TDAH deve-se observar sua frequência, persistência e duração, e essas manifestações devem necessariamente  trazer prejuízos para a vida do indivíduo.

Observar esses prejuízos e percebe-los no cotidiano da criança.

O comportamento desatento de uma criança pode ser motivado por vários fatores, incluindo um transtorno de aprendizagem.

Verifica-se uma dificuldade de aprendizagem quando a criança é capaz de executar as tarefas, possui as habilidades necessárias, mas não as demonstra de forma constante.

O transtorno de aprendizagem seria uma dificuldade significativa na capacidade em desenvolver habilidades e aprender, incluindo dislexia, disgrafia e discalculia.

Os transtornos de aprendizagem são distúrbios que afetam a leitura, escrita, capacidade intelectual, atenção.
Uma avaliação psicopedagógica cautelosa poderá ajudar a diagnosticar a presença ou não destes distúrbios que acabam afetando diretamente o desenvolvimento do aluno, sua auto estima e atingindo também pais e educadores.

Psicologia – Terapias Expressivas

Post para psicólogos que trabalham com as terapias expressivas. A autora Viola Spolin trabalha com jogo teatral e no texto descrevo sobre a Experiência Criativa.

A EXPERIÊNCIA CRIATIVA  

“Todas as pessoas são capazes de atuar no palco. Todas as pessoas são capazes de improvisar. As pessoas que desejarem são capazes de jogar e aprender a ter valor no palco.  Aprendemos através da experiência, e ninguém ensina nada a ninguém. Isto é válido tanto para a criança que se movimenta inicialmente chutando o ar, engatinhando e depois andando, como para o cientista em suas equações.

Se o ambiente permitir, pode-se aprender qualquer coisa, e se o indivíduo permitir, o ambiente lhe ensinará tudo o que ele tem para ensinar. “Talento”ou “falta de talento” tem muito pouco a ver com isso.    Devemos reconsiderar o que significa “talento”. É muito possível que o que é chamado comportamento talentoso seja simplesmente a capacidade individual para experenciar. Deste ponto de vista, é no aumento da capacidade individual para experenciar que a infinita potencialidade de uma personalidade pode ser evocada.

  Experenciar é penetrar no ambiente, é envolver-se total e organicamente com ele. Isto significa envolvimento e todos os níveis: intelectual, físico e intuitivo. Dos três, o intuitivo, que é o mais vital para a situação de aprendizagem, é negligenciado.

A intuição é sempre tida como sendo uma dotação ou uma força mística possuída pelos privilegiados somente. No entanto, todos nós tivemos momentos em que a resposta “simplesmente surgiu do nada” ou “fizemos a coisa certa sem pensar”. Às vezes em momentos como este, precipitados por uma crise, perigo ou choque, a pessoa “normal” transcende os limites daquilo que é familiar, corajosamente entra na área do desconhecido e libera por alguns minutos o gênio que tem dentro de si. Quando a resposta a uma experiência se realiza no nível intuitivo, quando a pessoa trabalha além de um plano intelectual constrito, ela está realmente aberta para aprender.

O intuitivo só pode responder no imediato – no aqui e agora. Ele gera suas dádivas no momento de espontaneidade, no momento quando estamos livres para atuar e inter-relacionar, envolvendo-nos com o mundo à nossa volta que está em constante transformação.

Através da espontaneidade somos re-formamos em nós mesmos. A espontaneidade cria uma explosão  que por um momento nos libera de quadros de referência estáticos, da memória sufocada por velhos fatos e informações, de teorias não digeridas e técnicas que são na realidade descobertas dos outros. A espontaneidade é um momento de liberdade pessoal quando estamos frente a frente com a realidade e a vemos, a exploramos e agimos em conformidade com ela. Nessa realidade, as nossas mínimas partes funcionam como um todo orgânico. É o momento de descoberta, de experiência, de expressão criativa.

Tanto a “pessoa média” quanto a “talentosa” podem ser ensinadas a atuar no palco quando o processo de ensino é orientado no sentido de tornar as técnicas teatrais tão intuitivas que sejam apropriadas pelo aluno. É necessário um caminho para adquirir o conhecimento intuitivo. Ele requer um ambiente no qual a experiência se realize, uma pessoa livre para experenciar e uma atividade que faça a espontaneidade.

 

Mais informações: https://www.apsicologiaonline.com.br/produto/tecnicas-expressivas-com-adolescentes/

WhatsApp chat