As escolhas movem nossas vidas!

Escolher é tão difícil.  Escolher não é difícil!

Vivemos um tempo que falamos demais, pensamos demais e agimos pouco. Tomamos poucas decisões porque não temos consciência do aqui e do agora. Ou seja, do que nós precisamos fazer hoje, a eternidade é hoje.  Mas, por vezes a deixamos para amanhã ou no passado. O mais importante é fazer as escolhas certas hoje.

Você tem feito escolhas com consciência?

Se a resposta for não, você precisa buscar um autoconhecimento, um autodesenvolvimento, para poder alcançar seus objetivos e realizações pessoais. Tudo que apenas falamos e guardamos em nosso pensamento ficará apenas ali. Se não conseguimos agir diante de situações diversas, não colheremos nenhum fruto de nossas ações. Ficaremos parados no tempo, frustrados, cansados e com a sensação de estar vivendo em vão.

Você conhece alguém, ou seja, esse alguém, que tenha vários sonhos e objetivos, mas, por algum motivo sempre se encontra parado no mesmo lugar, na mesmice, no tempo?  Então, está faltando ação, foco, consciência e análise da situação.

Porque você não está onde deseja ? Sonhos, vontades e objetivos, foram feitos para serem alcançados. Todo caminho leva a um lugar. Saiba escolher o caminho certo para chegar onde deseja.

 As escolhas movem nossas vidas!

E como fazer uma escolha consciente?

Analisando as consequências de cada escolha.

Toda escolha gera uma renúncia. Se soubermos o que estamos renunciando, podemos ter plena consciência do que estamos escolhendo. E só assim podemos nos responsabilizar plenamente pelas nossas vidas.

Quem nunca tomou uma decisão e logo após fechou os olhos e disse: “Por que fiz isso?”; Ou até mesmo: “por que não fiz o que deveria ter feito?”.

Estas questões aparecem em nossa mente constantemente, e nos faz ficar indecisos, com relação aos nossos próprios desejos. Normalmente, tornam-se fantasmas, que atormentam nossas vidas.

Por este motivo, dizemos que: escolher é tão difícil. Escolher não é difícil!

Quando se tem autoconhecimento, autoconsciência e Autorresponsabilidade tudo fica mais fácil. Busque  terapia para se autoconhecer, para começar a ter o poder de decidir, a ter ações  que irão te levar a algum lugar, que irão te levar onde você tanto deseja estar.  Sem culpa, sem arrependimentos, sem medo, sem insegurança e sem frustações. Realizações pessoais fazem bem para você, fazem bem para sua saúde.

Viva bem, Viva feliz,  invista em você, faca terapia!

 

Você tem medo da solidão?

Nenhum homem é uma ilha. Esta é uma frase muito popular, e é extremamente comum encontrarmos pessoas com medo da solidão, e que vivem na solidão, pois não sabem como lidar com ela. A solidão conduz ao sentimento de vazio, se sentindo sozinho e indesejado. Nestas situações, as pessoas anseiam o contato humano, porém, a forma como se sente, faz com que seja muito difícil conectar-se com os outros. A solidão não é necessariamente sobre estar sozinho, pelo contrário, é a percepção de estar sozinho e isolado sendo que existem varias pessoas ao seu redor.

O medo da solidão impede de conviver com a sociedade, de manter relacionamentos saudáveis e até mesmo de amar. Pensando também no futuro. Pessoas solitárias por vezes tem o pensamento de não poder se apegar ao outro, criar raízes, por medo que algum dia o outro venha a abandoná-lo. Cria-se ai uma barreira enorme nas relações.

O estado de solidão, faz com que o solitário, seja cercado por pessoas que o amam e estão sempre ali.  Mas, devido a este sentimento estar cada vez mais presente, se torna impossível que o solitário note e saiba receber o amor, a atenção e o cuidado que os outros lhe oferecem. Sempre haverá uma barreirar invisível, um bloqueio ao qual precisa ser tratado. Precisamos descobrir qual trauma fez com que aquela pessoa gerasse esse medo, e estado de solidão.

Quantas vezes você já se sentiu sozinho em uma sala cheia de gente?

Quando este sentimento de solidão, esta a tona, e o medo insiste em se manter ali, é preciso fazer um mapeamento, a fim de descobrir quando ele aparece com mais intensidade em sua vida, em quais situações está presente e em quais desaparece.

É preciso saber até quando você consegue controlá-lo ou se é ele que controla você. Mapear seu sentimento irá te auxiliar na jornada de autoconhecimento, autodesenvolvimento  e também a lidar melhor com os momentos de solidão.

Temos algumas dicas que podem te ajudar a controlar a solidão:

– Permita-se aceitar que a solidão é um sinal de que algo precisa mudar;

– Compreenda os efeitos que a solidão tem na sua vida, tanto física como mentalmente;

– Faça serviço comunitário ou outra atividade que goste. Estes contextos oferecem oportunidades para conhecer pessoas novas e cultivar novas amizades e interações sociais;

– Foque-se no desenvolvimento de relacionamentos com pessoas que partilham atitudes, interesses e valores semelhantes aos seus, busque também inspirações, faça meditação;

– Espere o melhor. Pessoas solitárias muitas vezes esperam rejeição, por isso, concentre-se em pensamentos e atitudes positivos nos seus relacionamentos sociais.

Todos precisam de contato! O ser humano é movido por relacionamentos. Uma vida social é fundamental para que sejamos plenos. Vida social, não é o mesmo que um relacionamento forçado apenas para não se sentir sozinho. Lembre-se disso.

Saiba que a solidão esta ligada a depressão, síndrome do pânico, fobia social, crises de ansiedade, traumas e timidez…

Sendo assim, se você sente está apresentando estes sintomas e se sente muito solitário, algo está errado. Procure um psicólogo e ele irá te auxiliar a descobrir de onde vem esse sentimento de solidão e todos os outros que costumam acompanhá-lo. Saiba que para tudo há um tratamento.

Seja feliz! Faça terapia!

Envie um e-mail para nós.

Diferencie os episódios de preocupação normal e um período “obsessivo”

Saiba que para tudo existe um tratamento, uma solução, uma escolha. Escolha fazer terapia, ela irá te ajudar a se autoconhecer, a se livrar desse sentimento que é tão prejudicial. Quebre as algemas da obsessão.

Diferencie os episódios de preocupação normal e um período “obsessivo” .

Os seguintes pontos podem te ajudar a identificar uma obsessão:

  • Sua preocupação é realista? O motivo da sua preocupação é pouco provável e você está antecipando um fato que é muito improvável ou impossível de acontecer?
  • Sua preocupação é desmedida? A quantidade de preocupação não corresponde com a gravidade do problema ou com o assunto que você não para de revirar em sua cabeça.
  • Você passa uma grande parte do dia pensando em um assunto ou sobre um problema concreto? Você passa o dia inteiro se preocupando ao ponto de que isso interfira em seu dia a dia?
  • Você sente um mal-estar por estar constantemente com essa ideia? As obsessões geram um grande mal-estar, e você gostaria de eliminá-las de sua mente, mesmo que isso pareça impossível.
  • Estes pensamentos te forçam a fazer algo que você sabe que é absurdo ou que não vai solucionar o problema, mas mesmo assim você faz? Lavar constantemente as mãos, abrir e fechar qualquer porta um determinado número de vezes, não tocar nenhum objeto com as mãos, etc.
  • Você sente vergonha de reconhecer isso para os outros? Você sabe que tem um problema, que seu pensamento e/ou comportamento não é “normal”, mas prefere manter em segredo porque ninguém vai te entender ou vão pensar que você é estranho.
  • Você não pode controlar seu aparecimento nem sua duração? Os pensamentos que te atrapalham aparecem de repente, sem avisar, e você pouco pode fazer na tentativa de controlá-los e fazer com que eles desapareçam.

Se você respondeu sim a alguns quesitos, você sofre sim de algum tipo de obsessão. Busque ajuda, busque a terapia. A profissional ira se aprofundar e analisar o problema e sua causa.

Também existem algumas dicas de Inteligência Emocional que ira te ajudar a barrar os pensamentos e comportamentos obsessivos por alguém ou algo:

Trabalhe seu amor próprio

Você pode todas as coisas! Não mendigue o amor e atenção do outro. Preocupe-se com você. Evite depositar todas as suas expectativas em determinada relação. Para que você possa desenvolver seu amor próprio, é necessário entender que ninguém é capaz de suprir suas necessidades emocionais além de você mesmo. Para ser feliz em qualquer relacionamento, é preciso saber ser feliz sozinho.

Eleve sua autoestima

Pessoas com baixa autoestima podem desenvolver obsessões e a possessividade. Para que isso não ocorra, é fundamental olhar para suas feridas emocionais, entender quais são suas crenças limitantes e começar a perceber e dissolver esses padrões de comportamento. O autoconhecimento é fundamental, dar luz as questões que precisam ser trabalhadas e também perceber suas qualidades e habilidades. Se arrume, coloque sua melhor roupa, tire um tempo para você, para sua autoestima, se olhe no espelho e veja o quão poderosa (o) você pode ser se quiser.

Trabalhe suas inseguranças

A falta de confiança em si mesmo, nas suas habilidades e capacidades gera uma sensação constante de ameaça. Dê um voto de confiança para si mesmo e confie mais no seu próprio taco.

Não tente controlar o incontrolável

É impossível obrigar alguém a gostar de você ou exigir que a pessoa fique ao seu lado. Então, para que perder tempo e energia sufocando e limitando alguém? É muito mais saudável e produtivo cuidar de si e das próprias emoções, tornando-se uma pessoa mais equilibrada, feliz e saudável. Dessa maneira, a convivência com as pessoas que você ama terá muito mais qualidade e harmonia.

Temos uma vida breve, que passa muito rápido. Nesse breve tempo que temos, saibamos buscar qualidade de vida, buscar objetivos, realizações, elimine os traumas, elimine situações e sentimentos tóxicos. Tranquilidade, leveza, paz interior, autocontrole e autoconhecimento fazem bem para você e sua saúde agradece.

Viva Feliz! Busque a terapia.

 

Obsessão, um sentimento que pode arruinar relações

Até onde é preocupação? Onde passa a ser obsessão?

Todos nos já tivemos uma preocupação com alguém, que perturbou nossa mente e nos deixou aflitos. Isso é normal. Desde que não prejudique excessivamente o caminhar de nossas vidas.

Quando amamos alguém certamente nos preocupamos com aquela pessoa. Mas, há pessoas que se preocupam mais do que o normal, com coisas ou pessoas que não merecem, ou precisem de tanta atenção ou angústia. Gerando ai um sentimento obsessivo.

 As obsessões são a prisão do pensamento

Embora a possessividade, o ciúmes em excesso, a dependência e a obsessão sejam sentimentos geralmente associados aos relacionamentos amorosos, eles podem se manifestar em qualquer tipo de relação. A obsessão esta ligada com traumas vividos. Indivíduos que desenvolvem obsessão por alguém, são aqueles que nutrem um medo muito grande do abandono e da rejeição. Um temor que normalmente está associado à vivência de situações de rejeição durante a infância.

A bipolaridade também esta associada à obsessão. Pessoas que desenvolve esse sentimento tem grande insegurança, falta de autoconhecimento, autocontrole e autoestima.

 Existem vários tipos de obsessão.

Seja por pai, mãe, namorado (a), marido, esposa, filhos. Existem também as obsessão por situações. Obsessão por perfeição, por limpeza, obsessão por trabalho, por dinheiro… Tudo que ultrapasse a linha do normal e prejudique sua vida esta se caminhando para um problema que precisa ser tratado: uma obsessão.

Conviver com pessoas obsessivas é muito desgastante, uma vez que elas tendem a exigir muito e não deixam espaço para outros interesses e necessidades. E muitas dessas pessoas, têm ciência de sua obsessão, tem o desejo de se livrar dela, mas não sabem como. Há muitos casos em que o sentimento obsessivo leva a violência e ate mesmo a tragédias.

Faço o curso: https://www.apsicologiaonline.com.br/produto/etapas-para-o-crescimento-dos-meus-relacionamentos/

 

Hibridismo na arte, a leitura de imagens no mundo contemporâneo 

O projeto Hibridismo na Arte

Hibridismo na arte, a leitura de imagens no mundo contemporâneo – .

Projeto –
Colagem Surrealista e o uso das Tecnologias
Baseado nas Colagens surreais do artista Marcelo Montreal

12a. PRIMAVERA DOS MUSEUS

“ CELEBRANDO A EDUCAÇÃO EM MUSEUS”

PROGRAMAÇÃO

Dia 17/08  – segunda feira

 Horário:  9:00 horas

Local:      Centro Turístico e Cultural “ João Robson de Castro” – CETUC

Avenida Tancredo Neves, 326  Centro

Auditório “ Dimas de Oliveira”

  • Abertura da 12a. Primavera dos Museus com o tema : “Celebrando a Educação em Museus”
  • Apresentação de Poemas e Poesias por membros da ACADSAL Academia de Letras de Santo Antônio do Monte
  • Apresentação Musical da Escola Musical Encantos de Arlene Tavares

Dias 18/08  – terça feira- Horário : 9:00

Local:     Centro de Memória Municipal “ Dr. José de Magalhães Pinto”

Avenida Coronel Amâncio Bernardes ,181 Centro

  • Abertura da Exposição  de Colagens Surrealista com o tema: “Hibridismo na Arte, a  leitura de imagem no mundo contemporâneo, um projeto da Professora e Psicóloga Maria de Lourdes Batista, com os alunos do 3o. Ano da Escola Estadual Padre Paulo.
  • Visitação por alunos de Escolas Estaduais , Municipais e Particulares nos Espaços do Centro de Memória  Municipal “ Dr. José de  Magalhães Pinto”
  • Visitação por alunos de Escolas Estaduais ,Municipais e Particulares no Casarão do Padrinho Vigário – Museus Sacro Monsenhor Otaviano”

Dias 18/08 a 21/08  – terça feira a sexta feira

 Horário: 9:00 àas 11:00 hs

               12:00 às 16:00 hs

Local: Av. Coronel Amâncio Bernardes , 181 Centro

 Visitação a Exposição  de Colagens Surrealista com o tema: Hibridismo na Arte, a  leitura de imagem no mundo contemporâneo, um projeto da Professora e Psicóloga Maria de Lourdes Batista, com os alunos do 3o. Ano da Escola Estadual Padre Paulo

  • Visitação por alunos de Escolas Estaduais , Municipais e Particulares nos Espaços do Centro de Memória  Municipal “ Dr. José de  Magalhães Pinto”

 Dias 18/08  a 21/08  – terça feira a sexta feira

 Horário: 9:  às 11:00 hs

13:00 às 15:00 hs

Local:  Rua Vigário Alexandrino, 126 – Bairro Monsenhor Otaviano

 Visitação por alunos de Escolas Estaduais ,Municipais e Particulares no Casarão do Padrinho Vigário – Museus Sacro Monsenhor Otaviano”

Dias: 18/08   terça feira e 19/08  quarta feira

Horários: 13:00 às 15:00 hs

Local :  Centro Turístico e Cultural “ João Robson de Castro” – CETUC

Avenida Tancredo Neves, 326  Centro

Auditório “ Dimas de Oliveira”

  • Oficina de Colagem e fotografia Fauvista, com a Professora e Psicóloga Maria de Lourdes Batista com o tema  Hibridismo na Arte, a  releitura do Patrimônio Cultural,. As inscrições serão feitas pelas escolas  pois o número  de participantes será 

Dia: 22  sábado

Horário : 8:00 às 12:00 hs

Local:  Centro Turístico e Cultural “ João Robson de Castro” – CETUC

Avenida Tancredo Neves, 326  Centro

Auditório “ Dimas de Oliveira”

 Exposição de Trabalhos feitos nas Oficinas realizadas durante a 12a. Primavera de Museus pela Professora e Psicóloga Maria de Lourdes Batista

  • Exposição “Hibridismo na Arte”, a  leitura de imagem no mundo contemporâneo . Colagem e fotografia surrealista da Professora e Psicóloga Maria de Lourdes Batista de alunos do 3o. Ano da Escola Estadual Padre Paulo.
  • Encerramento da 12a. Primavera de Museus

O poder das redes sociais

Em pleno ano de 2018, difícil é encontrar alguém que não use nenhuma rede social. Essa tecnologia que a cada dia vem ganhando mais espaço em nossas vidas, com suas inovações, cresce mais e nos deixa por vezes mais dependentes desse meio.

Você já se imaginou sem seu celular? Whatsapp? Facebook? Instagram?

Como foi que essas redes sociais, ganharam tanto poder sobre nossas vidas, a ponto de mudar tanto a nossa forma de comunicação e relacionamentos?

Em tempos de correria, tantos afazeres, compromissos, obrigações, qualquer coisa que nos dê um pouco de praticidade e comodidade já nos fascina e nos aprisiona.  E mesmo  que inconscientemente, nos deixamos levar, pelo simples fato de podermos resolver tudo com mais praticidade, seja pelo celular  ou pelas redes sociais.

Por  vezes, esquecemos do valor que tem uma conversa, um olho no olho, uma presença física, um gesto de carinho presencial. Ficamos tão deslumbrados com o poder da internet que muitas coisas passam despercebidas ao nosso redor.

Saiba que filhos, pais, avós, esposas, maridos, por muitas vezes são deixados de lado, pelo vício que nos cerca. Por vezes eles querem um diálogo, um olho no olho, pedem socorro, e nós estamos tão ocupados com nossos celulares que nem se quer conseguimos notar.

Saiba que devido ao mau uso das redes sociais os índices de suicídio, depressão, entre outros… Tem aumentado gradativamente.

Diante de tudo, sabemos os  benefícios da internet. Encontramos muitas coisas produtivas, informações, adquirimos muitos conhecimentos. Mas VIGIE;  analise até onde tem sido bom e saudável,  onde tem privado os relacionamentos saudáveis, e também  uma boa convivência com os que te cercam.

Talvez nossos pais, avós, ainda não tiveram um contato com as redes sociais, por isso muitas vezes podem se sentir sozinhos, solitários, deslocados, necessitados de carinho e atenção.

Depoimento

”Já presenciei uma cena a qual me fez refletir. Duas irmãs, uma chegou na casa da outra. Uma não tinha contato com redes sociais, a outra por sinal era bem antenada. Tudo que a irmã conversava com a outra irmã antenada não obtinha respostas,  não  demonstrava interesse, por  vezes se ouvia uma resposta do tipo – a, é, aham, ata.  A irmã que estava tão ligada às redes sociais, nem se quer conseguia prestar atenção no que a irmã falava. Frustrada e aparentemente triste, aquela irmã foi embora.  E somente depois de meia hora a irmã notou sua ausência.“

Reflita, é esse tipo relacionamento que você quer ter?

Se não, comece a vigiar e a ter  aquele tempinho  precioso para realmente estar com alguém. Em um mundo tão tecnológico, vamos saber usufruir com sabedoria desse mundo. Vamos valorizar uma conversa, um olho no olho, um gesto de carinho presencial.

Assim, depois dessa reflexão pergunte a si mesmo: qual o valor da sua atenção para com o outro? E saiba que dependência excessiva por redes sociais tem de ser tratada.

Como a psicologia pode ajudar?

É preciso reconhecer o problema e procurar ajuda. A busca por um tratamento psicológico traz resultados positivos, pois o psicólogo auxilia o viciado a entender o que está acontecendo e o que o levou à necessidade tão grande de estar sempre conectado.

Seja por uma fuga da realidade, por dificuldade de relacionamentos reais ou até a busca pela perfeição, que muitas vezes se alcança apenas nas redes sociais. Descobrindo o motivo fica mais fácil de tratar e solucionar o problema. O psicólogo poderá conduzir o paciente a um equilíbrio. O equilíbrio e o autoconhecimento é a base para se viver bem e feliz.

27 de agosto, dia da Psicóloga

Deixo aqui os meus parabéns a todos os companheiros de profissão.

Um Obrigada a todos que valorizam e sabem a importância da psicologia nos dias atuais.

 

Depoimento de uma paciente.

“Fiz terapia durante 12 meses. No inicio tive muita dificuldade em me abrir, em aceitar as mudanças e a ouvir. Passado um tempo comecei a notar uma pequena melhora no meu jeito de agir e pensar diante de tantos problemas que estava passando. Pensei por muitas vezes desistir da terapia, mas me mantive firme. E quando minha psicóloga me deu alta, juro que queria continuar ali. Hoje vejo o quanto tudo valeu a pena, faria tudo de novo. Todos nós precisamos nos dar essa oportunidade. Hoje me sinto muito mais segura, apta a decidir corretamente. Vivo mais tranquila, feliz e leve. Dou ao problema o tamanho que ele realmente tem.”.

 

 Quem tem comandado sua mente?

Use o poder de sua mente a seu favor

Quem tem comandado sua mente?

Você tem usado a sua mente a seu favor?

Tudo tem início na mente, um pensamento positivo ou negativo pode dizer muito sobre você, e pode também, te conduzir por um caminho ao qual, você queira ou não trilhar.   Limpe sua mente de toda a manipulação dos outros e da sociedade, de situações tóxicas também.

ABRA sua mente para receber coisas que vão te acrescentar, seja na sua vida, na sua família e no seu ambiente de trabalho.

Pense positivo!  Pense por você!

 Seja aquele que tem o controle da sua mente. Ela não pode, e nem deve ser controlada pelos  pensamentos dos outros. Ela pode intervir em tudo, sejam em relacionamentos, situações inusitadas, problemas e até mesmo em sua saúde. Saiba que tudo tem dois caminhos, dois lados e cabe a você decidir, se quer um caminho leve ou pesado, fácil ou difícil. Nos dias atuais, tem sido mais fácil reclamar da vida, dos problemas… Você já pensou em mudar o seu jeito de agir e pensar?

Tenha ciência, que se você tem motivos para reclamar, também tem para agradecer. Portanto, comece a abrir sua mente e veja as coisas boas ao seu redor, perceba também o valor das  pequenas coisas. As coisas tem o tamanho que você enxerga.

Busque inspiração nas pessoas.

Veja que ao seu redor, existem pessoas com problemas maiores que o seu e nem por isso só enxergam o problema. Procure ver o lado bom das pessoas, busque exemplos em pessoas em que você vê verdade e felicidade, que saibam conviver com os problemas, sem que eles se tornem tudo de  negativo.

Tudo que você  absolver, automaticamente transparecerá nas suas atitudes. Tenha  coisas boas e seja  produtivo. Se sua mente vive atribulada, negativa, solitária, sua saúde também irá transparecer isso.

Não perca o controle. Elimine os traumas, elimine a dependência, busque autoconhecimento, autocontrole e auto responsabilidade.

Busque ajuda para lidar com todas as situações de seu dia. Fale, expresse, tenha alguém para conversar e te ajudar a ter uma mente saudável, forte e positiva.

http://Acesse: https://www.apsicologiaonline.com.br/atendimento-online/

CARÊNCIA AFETIVA

O ato de dar ou receber carinho, amor e ter afeto por alguém representa a capacidade de nos relacionarmos com o outro. Existindo, pessoas que são incapazes de dar ou receber carinho, e outras que exageradamente se tornam dependentes do outro para ser feliz.  Uma pessoa carente afetivamente, faz com que sua felicidade e tristeza esteja ligada única e exclusivamente com a relação que tem com o outro, seja pai, mãe, namorado (a), esposa (o).  Depositar todas as  suas expectativas no outro pode ser frustrante para você e um peso na vida do outro.

Tudo que somos hoje, nossas ações, emoções, estão ligadas a qualidade de nossas relações primárias, lá quando somos crianças e desenvolvemos nossa primeira relação de afeto, amor e carinho, muitas vezes pelos nossos pais.

Com isso podemos ver dois fatores de carência afetiva.

  • Quando crianças, o excesso de carinho e cuidado pode fazer com que gere uma dependência em nossos pais, o qual não sabemos se quer tomar decisões sem o auxilio deles, futuramente isso pode se manter e além de ter dependência dos pais, podemos ter do namorado (a), da esposa (o) e dos filhos…  Fazendo com que sempre busquemos nos outros algo para ser feliz e completos.
  • Por outro lado, está a falta de cuidado quando criança, o abandono, que pode fazer com que sejamos incapazes de dar ou receber o afeto que não tivemos na infância. Um trauma que se arrasta por uma vida adulta, dificultando os relacionamentos.
  • O trauma psicológico é um tipo de dano emocional que ocorre como resultado de um algum acontecimento. Pressupõe uma experiência de dor e sofrimento emocional ou físico.

Alguns sintomas em comum de carência afetiva:

  • Zelo em excesso;
  • Ciúmes desmedidos;
  • Necessidade de atenção;
  • Dependência emocional;
  • Submissão;
  • Medo e fobias;
  • Falta de objetivos pessoais;
  • Inferioridade;
  • Incapacidade de dar e receber.

Se você se identifica com alguns quesitos, saiba como tratar a carência. Para tudo tem uma solução.

Aprenda a ficar sozinho, a se sentir bem com sua própria companhia, a confiar mais em você, a perdoar, eliminar da sua mente traumas passados.

Saiba amar muitas pessoas de formas diferentas, não dependa único e exclusivamente de uma só pessoa para ser feliz. Dependa de você, busque depositar suas expectativas em você e busque também supri-las.

Ame-se , você e capaz de amar o outro com todos os seus defeitos e qualidades, então você é capaz de se amar como esta hoje.

Reconheça-se, reconheça seu valor, suas conquistas, seu papel no ambiente de trabalho, em casa e no mundo. Dê presentes a você, agrade-se, mime-se. Dê a você tudo aquilo que busca dar ao outro, desde um simples elogio a uma viagem de férias.

A carência afetiva está enraizada no desejo de suprir vazios interiores, por falta de amor próprio. Se você quer começar a se amar, precisa olhar para você e para sua história de vida e eu sei como lhe ajudar.

Caso não consiga sair sozinho dessa situação  busque ajuda.

Acesse: https://www.apsicologiaonline.com.br/atendimento-online/