Entendendo minha ansiedade

Você conhece a Técnica STOP ?

Ela te ajuda a mudar os seus pensamentos.

Algumas vezes somos invadidos por pensamentos negativos e isso não acontece de repente, existiu um gatilho para que este pensamento surgisse.

É muito interessante descobrir qual o gatilho que gera os pensamentos, que geram imagens e essas imagens geram sentimentos ruins.

Geram também os pensamentos acelerados, ou seja, pensamentos que não conseguimos parar, daí ficamos num estado de vigília.

É possível você dar nome para este gatilho e como isso ocorre?

O corpo responde aos pensamentos e sentimentos que causam varias síndromes e uma delas é a Insônia.

Insônia é um distúrbio do sono caracterizado por dificuldades em adormecer ou manter-se adormecido durante o tempo desejado. No dia seguinte, a pessoa geralmente apresenta sonolência, falta de energia, irritabilidade e depressão.

Algumas pessoas sofrem de Ansiedade, e não conseguem entender os episódios que ocorrem.

Sistema de crenças

É um registro onde serão engatilhados pensamentos positivos ou negativos!

Geralmente acessamos pensamentos negativos.

Caso você seja otimista, você vai acessar suas lembranças positivas.E assim você vai treinar pensamentos de tranquilidade, de paz, de sossego, e permitir que seu corpo relaxe através também da respiração.

Mudar seus pensamentos é mudar teu sistema de crença e com isso as imagens que serão acessadas também, de negativas, passará a ser positiva. E você vai acreditar em si mesmo, no seu potencial, pois as imagens projetadas pelo seu cérebro gerarão bons sentimentos.

Para interromper o processo, a TÉCNICA STOP diz para “não evitar pensar no que esta se apresentando”.

Lutar contra o pensamento é torna-lo ainda mais real mais verdadeiro. Quando você aceita o pensamento que se apresenta e deixa que ele flua você tem a possibilidade de substituir o pensamento! A técnica diz de 4 passos:

S – (stop) PARE – fale em voz alta quando o pensamento vier “pare”! “Pare agora esse pensamento e essa imagem nesse minuto” Dê uma ordem para você.

T – (TAKE TIME) – ganhe tempo, inspire e respire. Respire profundamente. A falta de respirar aumenta a ansiedade, reeeeespira!

O – (OBSERVER) – conecte-se com o seu momento atual, olhe a sua volta, perceba onde você esta. Perceba seu momento agora e veja que absolutamente nada esta errado!

P – (PREMIUM) Congratule-se. Parabenize-se por isso, por ter encerrado este ciclo de pensamentos que lhe paralisam!

Sentimentos, pensamentos e atitudes podem ser transformados.

Viver com Arte, a expressão da vida.

Entendendo sua Ansiedade.

Quais as situações que mais causam conflitos nos Relacionamentos?

É uma pergunta difícil.

Recebi um e-mail de uma jovem que passa por muitas dúvidas no seu relacionamento e trazendo essa questão.

Vamos pensar juntos, quais seriam as situações que causam conflitos?

Vou colocar aqui algumas lições.

Lição  01 – Compreensão do que é Amar.

Muitas pessoas tem dificuldade de amar, muitas dizem “o amor acabou “.

Será que no mundo moderno as pessoas tem dificuldades de trabalhar sua vida afetiva?

Para entrarmos em contato com essas questões, devemos fazer o processo de autoconhecimento para entender .

Daí você pode dizer: “nossa isto é mais difícil do que eu pensei.”

É mesmo, colocar os pingos nos is na relação é uma tarefa árdua e exige sinceridade de ambas as partes. Fazer luz sobre a  vida afetiva é entender os detalhes do cotidiano, é ter consciência que estou dividindo um espaço com o outro. Ele é diferente de mim.

E o amor como fica? Amar  é um desejo, é uma necessidade e “ Amar é um ato de decisão. “ Você decide ficar com essa pessoa.

Lição 02 : Trabalhando a autoestima

  • O que é Autoestima?

Significa um sentimento de valor e de competência pessoal.

Pessoas com autoestima elevada são capazes de enfrentar os maiores desafios com serenidade e confiança em si mesmo (a).

Solucionam os problemas em vez de culpar os outros.

Aprendem com o fracasso e tentam novamente em vez de desistir. 

O que baixa ou levanta nossa autoestima não é o que as pessoas fazem ou dizem a nosso respeito, mas o que “nós dizemos para nós mesmos depois que o outro parou de falar”.

 Essa conversa interior irá depender de como estamos sentindo-nos interiormente

Pense nessas duas lições.

Maria de Lourdes Batista

Psicóloga online e presencial.

.

O papel do Pai na família

“Meu pai é meu herói”.

“A família, geralmente, não tem consciência da influência que causa na formação integral da criança. “

É certo que as primeiras experiências da criança acontecem dentro do seio familiar. É a família que lhe dá um nome, que tem uma classe social e genética, gerando os primeiros sentimentos acerca desta família e logo depois do mundo em que vive.

Não é de se estranhar que o ditado popular “educação vem de berço” se tornou tão usual, já que é no ambiente familiar que se inicia a formação psíquica, moral, social e espiritual da criança formando sua identidade.

Vivemos em constantes mudanças, assim as famílias tem encontrado grandes dificuldades de educar seus filhos.

Em um mundo em que a violência é exibida diariamente pela mídia e em que há uma contradição nas regras sociais e diferentes valores, as famílias se sentem confusas na tarefa de educar, pois se veem diante de tantas informações diferentes e muitas vezes controversas a respeito da educação.

Surgem, assim, pais com dificuldades de se identificarem como pais e mães, ou seja, não se veem como pais para realizarem esta tarefa essencial para o crescimento e desenvolvimento da criança. Um exemplo disso são pais que se infantilizam diante de seus filhos. Outros são os que são sérios demais e não brincam com seus filhos.

Educar não é uma tarefa fácil. Mas, necessária.

A família é um todo, cada um tem sua importância, cada um ocupa uma função, assim, se forma um sistema familiar.

Todo ser humano, busca amar e ser amado, satisfazer as suas necessidades, ser confirmado, alcançar objetivos, realizar desejos; estamos envolvidos em uma relação de intersubjetividade e inseridos em um campo, buscando sempre a autorrealização existencial.

Buscamos a felicidade, gostamos de estar com as pessoas e de ser abraçados por elas, gostamos de ouvir palavras que ajudam no nosso crescimento pessoal e familiar.

“A identidade é uma questão de com o que eu me identifico e em que campo eu me encontro”, ou seja, para saber quem sou, é preciso saber onde estou.

O papai e a mamãe que buscam autoconhecimento, facilitam a vida de seus filhos, para que os mesmos possam saber ,para onde eles estão indo, e quem eles são.

É um percurso é um ser de relação, e tudo começa em casa, na família.

O homem é um ser de potencialidades, segundo a psicologia da Gestalt- Terapia, que podem ser atualizadas a todo momento; ele nunca estará acabado, “ele não é isso ou aquilo de forma definitiva”. Ou seja, não se diz que a criança é teimosa, e sim que a criança está teimosa. Entende-se a teimosia como uma característica momentânea do campo criança-meio com muitas possibilidades de reconfiguração, dependendo da mudança de qualquer uma das partes e/ou das relações estabelecidas entre elas .

Assim, podemos dizer que o pai tem sua importância na família, na formação da identidade dos seus filhos, ele é um ser essencial nessa engrenagem chamada família.

Maria de Lourdes Batista

Psicóloga online e presencial

A doença como um caminho

Você é uma pessoa alérgica?

A doença como um caminho.

Vejamos o que fala os autores desse livro quando a pessoa é bem alérgica.

A pessoa que tem alergia é uma agressividade que se materializou. A pessoa alérgica deve fazer a si mesma as seguintes perguntas:

1 – Por que não suporto tomar consciência da minha agressividade, e a transfiro para a manifestação corporal?

2 – Quais âmbitos da vida me inspiram tanto medo que procuro evitá-los?

3 – Para que temas apontam os meus alérgenos?
4 – Até que ponto uso minha alergia para manipular o meio ambiente?

5 – Como encaro o amor, qual é a minha capacidade de amar?

Você concorda com todas essas questões?

O livro “A Doença Como Caminho”, de Thorwald Dethlefsen e Rüdiger Dahlke, que trata do conteúdo psicológico associado a vários tipos de doenças e incidentes, os quais por não conseguirmos trabalhar adequadamente em nossa psique, passam a fazer parte da nossa “sombra”, não sendo percebidos conscientemente, manifestando-se, então, em nosso corpo físico, para que assim os possamos vivenciar, para superar e integrar seus consequentes desafios e ensinamentos.

Arte de Viver
Psicologia e Saúde Emocional

Áudio Post

Encanto e desencanto de nossas escolhas

Este podcast é o primeiro sobre o Encanto e o desencanto de nossas escolhas, se trata de orientação profissional e sobre as escolhas que fazemos em nossa vida, algumas vezes causando insegurança, dúvidas e medos.

Algo fundamental em nossa vida é o encanto, uma reação necessária que provoca uma sensação de interesse intenso.

Como você faz a suas escolhas?

Ouça pra saber mais.

https://www.apsicologiaonline.com.br/wp-content/uploads/2019/07/Encanto-e-desencanto-das-nossas-escolhas-3.m4a

Arte de Viver, é possível vencer a ansiedade.

“Seja como um selo dos correios, cole-se a uma coisa até chegar ao seu destino.


A Ansiedade às vezes é porque vivemos no passado, e as vezes no futuro, e nem sempre conseguimos viver o presente.

Hoje a dica é simples, mas eficaz, busque encontrar metas para desenvolver suas habilidades e conseguir realizar seus sonhos.

Se você não sonha, algo está te impedindo, faça um processo de autoconhecimento.

Exposição de Tarsila do Amaral

Segundo as informações do G1, a exposição de Tarsila do Amaral no Museu de Arte de São Paulo (Masp) já reuniu 350 mil pessoas até o último domingo (21). É o maior público dos últimos 20 anos do museu e um fenômeno só comparado à exposição de Monet na década de 90, que reuniu 400 mil pessoas.

Deixo essa dica para professores de arte, psicólogos, familiares, empresários, enfim toda pessoa pode apreciar a arte e tudo o que nela contém.

Deixo o link para maiores informações:

https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2019/07/23/exposicao-de-tarsila-do-amaral-gera-fila-de-6-horas-e-reune-maior-publico-dos-ultimos-20-anos-do-masp.ghtml?fbclid=IwAR1OMrVJRayOmj43BgFa1l4M_-1Z56Erf13nwGZkaaoBo-ZxD39zPVXz2YM

Como melhorar da depressão pós cocaína?

Pergunta feita pelo leitor do site www.apsicologiaonline.com.br

Olá Antônio, se você fala sobre depressão o seu uso de cocaína já tem prejuízo ou sofrimento clinicamente significativo para sua vida.

Esse é o primeiro passo, tomar consciência do grau de comprometimento que você se encontra. A cocaína faz parte do grupo que atua no Sistema Nervoso Central, é uma droga que estimula esse sistema acelera a atividade do SNC (euforia, agitação psicomotora, inibição da fome,sensação de coragem e poder).


Na sua história pessoal o quadro de depressão poderá ser uma realidade, ou seja pessoas da sua família tem ou tiveram depressão- com o uso da cocaína tem fator agravante.
O quadro depressivo é comum na vida de usuários de substâncias químicas e pode trazer graves consequências se não tiver o acompanhamento adequado.
O uso de drogas está relacionado com os problemas pessoais.
Existe também a possibilidade de quando o consumo da substância é cortado subitamente pode ocorrer a chamada síndrome de abstinência, que consiste em efeitos contrários aos causados pelas drogas. Por esse motivo, a parada repentina no uso de certas substâncias químicas também pode levar a um estado depressivo, fazendo com que o indivíduo se sinta abatido e triste, sendo invadido por pensamentos negativos.


Você pergunta como melhorar da depressão após o uso?


O primeiro passo é buscar ajuda profissional, por isso descrevi esse percurso, você pode ter uma depressão ou um estado depressivo, é preciso investigar o quadro em que você se encontra.
Procure um profissional que tenha especialização em dependência química e faça um processo de autoconhecimento.

Fique bem.
Maria de Lourdes Batista

Arte de Viver sem Vícios.

É possível sair das drogas?

É uma pergunta difícil de responder, porém existem pessoas que conseguiram , fizeram o seu processo de autoconhecimento e desenvolvimento . O sistema familiar colaborou com esse processo e assim sair das drogas é possível.

Deixo alguns depoimentos:

Entre o seu desenho e suas metas de recomeço de vida.

Depoimento I

Cassiano, presidiário, havia cometido um homicídio, mas não admitia.

O processo dele de psicoterapia durou cerca de 01 ano. A família de Cassiano era comprometida com o mundo do crime, pai, mãe, irmãos. Ninguém acreditava que um dia ele poderia sair da penitenciária.

De repente as motivações foram surgindo: descobriu uma espiritualidade, desejou conhecer sua filha e descobriu que gostava de trabalhar.

E mais, houve uma remissão de pena para ele, antes ele tinha um comportamento impulsivo na penitenciária que o comprometia bastante, não conseguia ficar um dia na rua que logo arrumava confusão.

De repente surge a mudança, o diálogo se estabelece entre ele e a psicóloga, entre ele e a filha, entre ele e o mundo externo, entre ele e sua fé.

Depoimento II

Antônio, empresário, 33 anos, tinha vários pensamentos e não conseguia dominá-los. Ele sempre pensava que as pessoas não gostavam dele e que tudo iria dar errado.

Na droga encontra conforto para aliviar sua dor. De repente está viciado em cocaína, não consegue controlar, mas consegue se superar no trabalho. Porém, para ficar ligado usa a cocaína, depois se envolve com o jogo e outros vícios que o arrastam para o fundo do poço.

Até que resolve pedir ajuda e faz um relato significativo, ele não conseguia controlar seus pensamentos; quando era criança pensava que era “burro” pois sua tia querida falou com ele, quando lhe ensinava o dever de casa. Ele relata que a partir dai tinha uma baixa estima e não conseguia conviver de forma “limpa” com as pessoas.

Podemos dizer que ele tinha o pensamento imaginativo.

O funcionamento imaginativo dependente da sensibilidade , que vibra de forma agradável ou dolorosa. Por vezes, nossa inteligência embeleza o real, ora imagina um futuro colorido, ou enfeita o real, ou imagina um futuro preto. Assim, decolamos do real e transforma o real. Ou seja, não vemos o que acontece de forma correta.

Como Antônio solicitou ajuda, conseguiu separar o real do imaginário, a sua dor e seu vício.

Então, começou a compreender o seu processo. É nesse sentido que vamos perceber o que fere a nossa sensibilidade.

Assim, Antônio percebeu sua transformação e teve atitudes de compromisso consigo mesmo.
Temos em nosso caminho de descoberta como pessoa humana, uma área importante, a sensibilidade . A sensibilidade é comparada a uma fita magnética que registra todo o nosso passado desde a concepção, passando pela infância e adolescência.

É preciso curar essa feridas, para então elaborar o vício que estabelece numa situação viciante.

Arte de Viver sem Vícios. Psicologia e Saúde Emocional.