• Home
  • Autor: Maria de Lourdes Batista

Curso Entendendo as Terapias Expressivas

Modulo Introdutório

E-book Grátis

Para Psicólogos e estudantes de Psicologia !

Olá,

O que estou prestes a te revelar nos próximos minutos literalmente mudou os meus resultados (e também pode mudar o seus). Desde que encontrei a arte na minha vida compreendi melhor a minha existência. Procurei associar este aprendizado a minha profissão de psicóloga.

Por isto resolvi fazer este curso, o que vou te mostrar aqui acredito que você não aprendeu na faculdade, interpretação dos desenhos, as pinturas, uso das cores, ir além, trabalhar a intuição e a percepção, observando melhor o como se dá a experiência de cada pessoa, possibilitando ao cliente/paciente revelar as suas dores e também o seu potencial.

Meu objetivo neste primeiro momento é bem simples: vou te apresentar uma ferramenta que vai te ajudar a rever sua prática clínica, como você elabora seu plano de tratamento e como você ajuda o seu cliente/paciente a resolver seus problemas e a encontrar o seu potencial criativo.

Técnica aplicada em uma criança de 10 anos, com uma demanda de dificuldades de aprendizagem, na escrita e na fala.

Técnica projetiva e expressiva – Desenho espontâneo e Risque e rabisque

Ao desenhar espontaneamente é possível estabelecer relações da realidade e registrar as experiências da criança. Conversando sobre o seu desenho espontâneo, ela disse: uma família feliz, somente esta frase. Fiz a seguinte pergunta, parece que você não sabe falar do seu desenho ou tem dificuldades em falar sobre ele, qual seria a sua resposta? Ela responde: as duas coisas.

Para Vygotsky há indícios que o desenho é precursor da escrita, ela afirma que a linguagem verbal é a base da linguagem gráfica. Como o desenho tem relação com a fala: primeiro o objeto representado só é reconhecido após a ação gráfica, quando a criança fala o que desenhou, depois ela passa a antecipar o ato gráfico, verbalizando o que vai fazer.

Maria de Lourdes Batista

Clique aqui em abaixo e receba seu e-book.

5 sinais de que você precisa de mudanças

Mudanças são necessárias.

Para mudar um comportamento, sentimento ou pensamento que o impede de ter uma real sensação de vida que se expande e beneficia os outros é preciso detectar o que não vai bem em você.

Analise este sinais.

05 sinais de que você não esta bem.

  • Seus problemas não parecem melhorar, apesar de todos seus esforços e ajuda de amigos e familiares.
  • Você acha difícil se concentrar no trabalho ou para realizar outras atividades cotidianas.
  • Você é demasiadamente preocupado, sempre espera o pior ou sente-se constantemente no limite.
  • Suas ações e comportamentos estão prejudicando você ou outras pessoas.
  • Você se sente com uma enorme sensação de tristeza e desamparo.

Busque se conhecer melhor, aprenda a lidar com as diversas situações da vida, conectando com você e sua família de maneira inteligente e leve, meu trabalho pode te ajudar.

Maria de Lourdes Batista

Conectando famílias

Identidade do adolescente


Deixo esta dica de filme hoje para você leitor.

Quem assistiu Anne?
É extraordinária está mini série.

Como as pessoas podem se realizar, se seus traumas estão latentes?
Como educar filhos?
Enfim, é uma aula de amor, amizade e liberdade.

Veja abertura da série

A abertura de Anne with an E simboliza as fases vividas por Anne ao longo da história. Nela se passam as quatro estações, iniciando no inverno, simbolizando o passado de Anne no orfanato e em lares abusivos, e vai mudando para as estações mais floridas e iluminadas, simbolizando a nova vida da órfã em Green Gables.

A arte em que a Anne está fazendo o juramento do dedinho com ela mesma, simboliza a auto aceitação de suas personalidades: “De um lado, o cabelo dela é um pouco mais trançado, e do outro lado as tranças são um pouco mais soltas e selvagens. Simboliza as duas naturezas de Anne”, explicou o diretor Alan Willians.

Precisamos fazer este contrato conosco mesmo, autoaceitaçao e autoconhecimento fazem parte da nossa história.

Se tiver dificuldades entre em contato conosco.

Entendendo as emoções no processo de emagrecimento

Começo a dizer sobre o autocuidado, e autocuidado significa cuidar de si mesmo. Quando se fala em ter hábitos de autocuidado, fala-se em estar atento às próprias necessidades e buscar desenvolver hábitos que visam o próprio bem-estar.

Mas não é saudável cuidar de outras pessoas e negligenciar cuidados a si mesmo.

Quando a pessoa cuida de si mesmo, ela busca viver com mais leveza, o autocuidado é o segredo da alta produtividade. e como isto de dá?

conceito de autocuidado pode ser definido como qualquer ação deliberada que você toma em prol da sua saúde mental, física e emocional. Em outras palavras, estamos falando do autocuidado emocional, autocuidado físico. 

Já percebeu como é difícil a mudança de hábitos alimentares?

O famoso pé na jaca, quem não conhece?

Para evitar esta tragédia é preciso, fazer uma caminhada, telefonar para um bom amigo depois de um péssimo dia de trabalho ou deixar de ir em um evento de networking para ficar lendo na cama.

Buscar um tempo para se revitalizar, isto faz um bem enorme.

Veja esta pergunta: “o que é autocuidado tem a ver com nutrir a relação e a conexão que você tem consigo?”

Trata-se de dar ao seu ”eu” completo (mente, corpo e espírito) exatamente o que você precisa para funcionar da melhor e mais feliz forma possível — o que, por sua vez, tende a aumentar sua produtividade.

Experimente, cuide de você, conheça seus limites, suas dores e vá atrás do que te faz bem.

E o emagrecimento?

Tem tudo haver, se você busca se cuidar, com certeza vai incluir uma reeducação alimentar, e, isto faz toda a diferença.

Acredite.

Maria de Lourdes Batista

Psicóloga Clínica.

Final de Ano

” Dizem que antes de um rio entrar no mar, ele treme de medo.
Olha para trás, para toda jornada que percorreu, para os cumes, as montanhas, para o longo caminho sinuoso que trilhou através de florestas e povoados e vê à sua frente um oceano tão vasto, que entrar nele nada mais é do que desaparecer para sempre.

Reflexão

Podemos dizer que seria recomeçar ou
ser o que se é Grande.

Mas não há outra maneira. O rio não pode voltar. Ninguém pode voltar.
Voltar é impossível na existência.

Reflexão
A meta é ir em frente, buscando ter consciência do que devemos fazer.

O rio precisa aceitar sua natureza e entrar no oceano. Somente ao entrar no oceano o medo irá se diluir, porque apenas então o rio saberá que não se trata de desaparecer no oceano, mas de se tornar o oceano. “

Seja você, busque autenticidade.

#autententicidade
#autoconhecimento
#coneccao
#amor

Meus filhos e suas Emoções

Olá, se você começou a ler este artigo é por que muitas vezes não sabe como lidar com seu filho (a).

Deixo aqui alguns pontos importantes, vejamos:

Seu filho(a) precisa de apoio para lidar com as emoções dele.

Alguns conflitos:

“O meu filho não pode ser contrariado. “

“Há crianças tranquilas mas que têm dificuldade em lidar com situações em que se sentem frustradas, quando que ouve um “não”.

O meu filho não pode ser contrariado

De fato, um “não” é sempre difícil de gerir, até para nós adultos. Contudo, a maioria de nós desenvolveu estratégias que lhe permitem lidar com a frustração de uma forma mais adaptativa e até construtiva.

Quando somos frustrados sentimos e reconhecemos essa vivência como negativa, mas temos a capacidade de procurar e invocar os recursos internos necessários a lidar com as emoções que essa experiência desencadeia (a zanga, a tristeza…).

Conseguimos até traçar planos para lutar por aquilo que nos recusaram ou procurar alternativas. Esta capacidade é adaptativa e adquirida através das nossas experiências de vida.

Aos sete anos de idade, por exemplo, muitas crianças ainda não adquiriram a mestria necessária para lidar com estas emoções e, para elas, o “não” é um absoluto.

Por exemplo, quando dizemos a uma criança que não podemos ir a casa do amigo naquela tarde, ela pode senti-lo como um “nunca”.

Aprender a gerir estas emoções e aceitar a frustração de uma forma mais tranquila é muito importante e tem impacto nas mais diversas dimensões da vida.

Enquanto a mãe terá um papel preponderante no apoio ao desenvolvimento desta capacidade.

Algumas estratégias podem ajudar.

1 – Dizer “não”, sem dizer “não”.

Ou seja, em vez de dizer que não pode ver o filme aquela hora, explicar que naquele momento vai jantar, por exemplo, e que após o jantar poderá fazê-lo.

Não sendo palavras milagrosas, dão alguma tranquilidade e previsibilidade, a par de uma solução de curto prazo. Outra alternativa, será usar o humor sem gozar, brincar, criar um cenário ainda mais divertido para a satisfação daquele desejo que terá de ser adiado e apresentar uma alternativa prazerosa.

2 – Explicar o “não”.

Ainda que seja verdade que as regras não têm e muitas nem devem ser negociadas, com o não é diferente e nunca é demais explicar (não se trata de justificar) porque motivo aquele pedido não pode ser satisfeito em dado momento. Uma explicação racional para um “não” alivia a carga ansiosa que lhe está associada e ajuda a criança a perceber que para tudo há um motivo e gradualmente isso será interiorizado como uma norma.

3 – Lidar com a zanga.
É frequente que a reação à frustração seja “regada” com lágrimas, gritos… A birra… Isto acontece pela imaturidade emocional, ou seja, a criança não consegue interpretar e lidar com o turbilhão de emoções “negativas”, não consegue geri-las. Ora, cabe ao adulto ajudá-lo a verbalizar o que está a sentir sob a forma verbal.

4 – Dar espaço
Por muito que vê-lo chorar seja doloroso e que a nossa tendência seja procurar tranquilizar a criança da forma mais eficaz possível, é importante dar tempo e espaço para que ele próprio consiga “reorganizar” as emoções.

Permitir um tempo para chorar e ficar triste para que, por ele próprio, consiga progressivamente retornar à calma. Não se trata de ignorar, mas de estarmos por perto para apoiar e ajudar, dando espaço para que a criança viva a zanga ou a tristeza que possa estar a sentir.

5 – Conversar depois da Birra!
Durante as expressão da zanga a criança não está disponível para ouvir, será sempre preferível esperar. Quando esta termina, conversar sobre o que aconteceu é importante, mas cuidado!

Não se trata tanto de falar sobre os motivos do não, agora o importante é falar sobre o que sentiu, o que pensou, o que sentiu no corpo quando estava zangado e ajudá-lo a encontrar comportamentos alternativos àquele que usou.

Assim, é importante que a criança seja reconhecida pelo seu esforço em lidar com o não, mesmo quando não corre tão bem quanto desejava, o ser capaz de voltar à calma é em si mesmo um motivo para um elogio.

Busque orientações !

Maria de Lourdes Batista

Psicóloga Clínica

Conexão nas relações

Trabalhando as Emoções

Muitas interferências nos relacionamentos são por causa da falta de comunicação. Ela é uma ação, é uma via de mão dupla que favorece o crescimento de ambos, seja no namoro, no casamento, na empresa, aonde você estiver a boa comunicação ajudará.

Podemos dizer que quando comunico algo de verdade, acabo ajudando o outro a ser melhor.

E quando a comunicação não é eficaz?

1.Quando não trabalho as minhas emoções.

2.Quando deixo de nomear as minhas qualidades, podemos dizer “potencialidades”.

3.Quando vivo a partir da minha sensibilidade, que me deixa sem energia, sem entusiasmo para agir.

As Emoções

emoção é as vezes definida como um sentimento que resulta em mudanças físicas e psicológicas que influenciam o pensamento e o comportamento.

Elas são nossa forma de expressão e às vezes podem ser mais importantes que as palavras. Se as palavras não forem acompanhadas por emoções adequadas, dificilmente receberão crédito.

Quando refletimos cuidadosamente sobre a importância das nossas emoções, percebemos que em muitas as situações, elas influenciam decisivamente na nossa vida, e por vezes não temos consciência disto. 

É importante reconhecer a maneira como nosso estado de espírito afeta o nosso comportamento, quais são as nossas qualidades e quais são os nossos pontos negativos.

Precisamos fazer um processo de autoconhecimento pois as vezes as nossas emoções podem nos dominar.

É preciso saber que as necessidades humanas vão muito mais além que as necessidades fisiológicas, como as comidas e as bebidas. Elas envolvem outras necessidades de caráter emocional.

Trabalhar as emoções através da arte

Fazer a conexão entre você e os outros com o auxílio das terapias expressivas.

Como?

Através da arte melhoramos nossa capacidade de comunicação não verbal. A arte pode nos ajudar a expressar e comunicar sentimentos, facilitando a reflexão, a comunicação e possíveis mudanças no comportamento.

O que é as Terapias Expressivas?

Para compreender as terapias expressivas, é preciso primeiramente conceituar a arte para buscar os conceitos teóricos que norteiam o emprego técnico de recursos expressivos ou artísticos. 

Arte, palavra de origem latina  “ars” significa técnica ou habilidade.

O dicionário Houaiss, vai dizer que arte é a produção consciente de obras, formas ou objetos voltada para a concretização de um ideal de beleza e harmonia ou para a expressão da subjetividade humana.

Então, as terapias expressivas é a utilização e estímulo de expressões não verbais em contexto terapêutico, com a finalidade de promover o desenvolvimento de competências humanas.

Terapias Expressivas: é a expressão do indivíduo, do seu íntimo, e do seu consciente.

Em resumo, é a sua forma de falar, o que você não consegui através das palavras, dai seu desenho, as cores vão falar para você ou com você.


Maiores informações entre em contato

[email protected]

Ansiedade nos Relacionamentos

Ansiedade traz prejuízo para os nossos relacionamentos, confira:

O que é ansiedade?

A ansiedade nada mais é do que uma emoção, presente em todas as pessoas.
Em níveis saudáveis, gera ânimo para colocar novos planos em ação.
Já em excesso, pode desencadear um distúrbio emocional por meio do medo, como mecanismo de defesa contra situações que estão fora do controle.

Quais são os principais sintomas físicos da ansiedade?

Pessoas com distúrbio de ansiedade geralmente relatam enorme cansaço, dor de cabeça, respiração ofegante, coração acelerado, sudorese, boca seca e irritação na pele.

Afinal, o paciente está sempre tenso.

Então o corpo está apenas enviando um pedido de ajuda contra o estresse, que nem sempre é ouvido.

Qual a importância do apoio psicológico e psiquiátrico no tratamento contra a ansiedade?

É essencial, pois o psicólogo, juntamente com o paciente, vai encontrar as causas emocionais para o aparecimento dos sintomas.


Nesse processo, é possível resolverem problemas antigos que ficaram em aberto. Mas não apenas isso, pois o paciente também aprende técnicas simples e eficientes para prevenir e lidar com as crises no momento que elas surgem.

Já o psiquiatra faz o acompanhamento médico, verificando a produção dos hormônios reguladores do sistema neurológico e também prescrevendo medicamentos para dar suporte ao tratamento.


Importante dizer que apenas o medicamento não resolve o problema, mas sim, controla e dá suporte para que o paciente consiga ter condições de manter sua rotina e buscar ajuda psicológica.

Quero ajudar você no seu processo de conhecimento e gerar sua ansiedade.
Marque sua entrevista inicial.
Entra em contato:
[email protected]

Redes sociais e o casais

A revista Veja trouxe uma notícia sobre a influência das redes sociais na vida dos casais.

Apesar dos altos riscos envolvidos, alguns profissionais acreditam que as redes sociais podem ser usadas de forma saudável.

Como lidar com a internet:

1.Ter diálogo quando houver alguma insegurança em uma das redes sociais.

2.Ter privacidade, mas autenticidade na relação.

3.Nada de mentiras. Tudo um dia é descoberto.

4.Pense nas suas escolhas ao fazer alguma pesquisa no google.

Outra reportagem é que achei pertinente é sobre a revista Cláudia, trazendo uma pergunta:

Você é ainda feliz na sua relação?

Caso não saiba a resposta, aqui vai um exercício de reflexão: questione-se a respeito de sua relação, pense se ela lhe faz mal ou bem, ponha na balança seus aspectos positivos e negativos. Lembrando que um relacionamento não precisa ser perfeito o tempo todo, pois a vida não é um comercial de margarina e a alternância entre momentos de maior ou menor felicidade é natural.

O que você achou da resposta?

Querido(a) leitor(a) caso precise alinhar o seu relacionamento eu tenho uma ferramenta que vai te ajudar muito, o curso Relacionamentos Saudáveis.

Entre em contato:

[email protected]

Como vai o relacionamento com seu filho?

04 pontos essenciais.

01. Presença paterna

02. Olhar postivo

03. Estimular a convivência entre o papai e mamãe

04. Mamãe não compare seu filho com ninguém.

Se seu filho tem problemas de aprendizagem, na leitura e na escrita, verifique sua saúde emocional e faça estimulação cognitiva para ver se ele tem uma resposta ao tratamento.

Busque ajuda mamãe e papai.

Maria de Lourdes Batista

Psicóloga

Pais e filhos, de bem com a vida.

WhatsApp chat