• Home
  • 2019
  • fevereiro

Ser Paciente

Na dúvida busque ajuda.

Ser paciente em um dia de raiva pode evitar cem dias de tristeza
Dê um nome ao que o aborrece. Não fique só com as sensações, com esse desconforto que fica virando o estômago e trava a sua mente. Descreva em palavras concretas o que o incomoda.Procure a calma por alguns instantes, feche-se no seu “palácio de pensar”. É um espaço tranqüilo e sereno que só pertence a você, visualize um lugar onde você deixe de fora a raiva e as emoções negativas para se trancar com “a razão”. Pense agora qual é a melhor opção diante da aquilo que o incomoda.
Expresse de forma assertiva a razão da sua chateação. De nada serve “engolir” aquilo que nos prejudica, porque os aborrecimentos não se guardam sob a cama, se expressam em forma de palavras respeitosas para evidenciar com clareza o que nos fere, o que não queremos.
Controle, reestruture e mude de cenário.

Uma das melhores formas de administrar a revolta e a raiva é controlar aspectos como a respiração ou inclusive os processos mentais capazes de potencializar ainda mais a emoção negativa. Não procure culpados, desligue o ruído mental e os pensamentos irracionais.

Busque um orientação psico religiosa que ajudará nesse processo.

Ansiedade. Qual profissional devo procurar?

Psiquiatra? ou um Psicólogo?

O melhor é fazer o tratamento em conjunto. O psicólogo poderá lhe ajuda a compreender como seguir melhor seu tratamento, se há indicação e encaminhamento para uso de medicação que poderá ser prescrita por um psiquiatra.
Existem muitas causas para alguém desenvolver respostas de ansiedade. Vou falar mais sobre o tema para que você possa escolher melhores ideias para se ajudar no processo de cura.
Para poder acabar e tratar a ansiedade é importante não só entender o que é, mas como isso afeta sua vida diretamente, pois os sintomas podem variar de pessoa para pessoa. No geral, a ansiedade é a resposta a sentimentos e pensamentos que acompanham as pessoas ao longo da vida, ou seja, é algo normal, porém pode estar intensificado, causando mal estar e grande desconforto.

Ansiedade dosada é boa, em excesso faz mal. Ou seja, a ansiedade em si, não é mesmo o problema, mas a intensificação dos sintomas, sim, impedindo a pessoa de viver de forma plena e segura. É natural sentirmos ansiedade em determinados momentos, por exemplo, numa experiência nova, como uma prova, um teste, ou algo que temos que expor uma ideia ou apresentação.
Mas esse sentimento é negativo ou paralisante, algo está errado. A ansiedade pode causar muitos sintomas físicos ruins, além dos emocionais que afetam a qualidade das ideias, escolhas e ações.
Muitas pessoas sentem-se ansiosa por não saberem lidar com o grau de exigência pessoal, por não conseguir organizar-se dentro do tempo necessário para as coisas e também pela preocupação excessiva com o futuro. Quem perde o foco no agora, pode ficar mais preocupado e ansioso. Pode parecer um pouco difícil tratar e se livrar de vez da ansiedade, mas com um pouco de disciplina, auto percepção, tratamento especializado, você poderá se curar e sentir-se bem melhor com isso tudo. Algumas pessoas, aprendem esse comportamento, por exemplo, com os pais, sem perceber que essa não é a melhor resposta a ser dada. Quando se está com medo, também há uma resposta de ansiedade. Assim, como a impaciência e nervosismo.


O transtorno da ansiedade generalizada, é um distúrbio caracterizado por sintomas, como:


– mente agitada;– preocupação excessiva com o futuro;– coração acelerado;– tremor nas mãos;– tremor nas pernas;– tremor no corpo;– expectativa negativa sobre algo;– angústia e apreensão;– dificuldade de controlar pensamentos acelerados;– cansaço excessivo;– dificuldade de concentração;– humor alterado;– irritação (falta de paciência) – que pode levar a brigas e desentendimentos;– agressividade;– rubor;– suor excessivo;– tensão muscular;– dificuldade de relaxar;– ações compulsivas e impensadas;– ganho ou perda de peso.
O ideal é você entender quais pontos lhe causam maior preocupação. Como você lida com a ansiedade do seu dia a dia? Como você tem organizado suas ações para que possa combater a tensão?
Para alívio e cura dos sintomas, sugiro técnicas de relaxamento corporal, respiração, atividade física, hipnose, meditação, psicoterapia e uma boa avaliação com um médico ou psicólogo que será capaz de indicar um tratamento qualificado para você.
Uma dessas técnicas, como a hipnose, por exemplo, ou mais quando combinadas e indicadas por um profissional qualificado surtirá efeito na cura e bem estar.

TEXTO ORIGINAL DE MINHA VIDA

Fonte: Psicologias do Brasil

Como superar a ansiedade.

Varias pesquisas já foram realizadas para comprovar a veracidade de que as informações auxiliam no processo de entender a ansiedade.

Os Drs Richard Herbert, James D. Forman e Evan M. Gaudiano, da Universidade de Michigan, realizaram um estudo em 2008 para analisar o impacto dos livros para superar a ansiedade na população.

Com o Dr. Ellis, aprendemos que a ansiedade em si não é negativa.O preocupante é quando perdemos o controle sobre ela e a nossa realidade começa a se confundir e se tornar distorcida por essa abordagem doentia cheia de pensamentos negativos.

A ansiedade como fator positivo vem quando tomamos consciência que tudo tem seu tempo. É preciso sonhar, mas criar metas para realizar o sonho, não seja rápido, a correria do mundo atual criou uma sociedade ansiosa.

Mude sua forma de pensar, lembre que as grandes realizações,” é a soma de pequenos feitos.”

Veja 5 pontos para você trabalhar sua ansiedade:

1 AUTOCONHECIMENTO

Buscando entender a própria personalidade entendemos como funciona nossa ansiedade.

2 PRATIQUE ALGUMA FORMA DE MEDITAÇÃO

A prática de qualquer forma de meditação ajuda tanto a aprender a relaxar, respirar melhor e esvaziar a mente de preocupações e pensamentos desnecessários quanto na organização mental.

3  TENHA METAS DEFINIDAS

Quando temos metas definidas deixamos claro para nosso organismo para onde direcionar a energia; quando não temos a energia fica a deriva. Se você tem muita energia não reclame, agradeça e use isso de forma inteligente.

4 CUIDE DO SEU SONO E ALIMENTAÇÃO

O sono é um regulador natural do nosso organismo. Quando dormimos bem atingimos estados de sono profundo causando um efeito como reiniciar o sistema.

Se você desconta a ansiedade na comida busque outra atividade que possa fazer ao invés de comer: Desenhar, tocar um instrumento, beber um suco de frutas, praticar um esporte ou dança, ou outra coisa que sinta motivação.

5 DIRECIONE MAIS SEU FOCO PARA O LADO POSITIVO DAS COISAS

Ver a vida como uma oportunidade é essencial para a automotivação. Um depressivo tende a se entregar aos problemas e a ansiedade que esses trazem resumindo o mundo aos seus pontos negativos.

Um esportista, por sua vez, tende a “queimar” esse combustível gerado pela ansiedade e buscar técnicas para educá-lo em favor de suas metas de autosuperação.  Quando sabemos dar vazão a ansiedade pode se tornar em algo benéfico, uma fonte de motivação. Foco em atividades e pensamentos positivos, pois em última instância tudo é uma escolha, inclusive a ansiedade.

Precisa de ajuda? entre em contato conosco.

PLANO DE AULA

1º . ano . Ensino Médio.

1. Tema da aula: Arte na Grécia.  Pesquisa em sala de aula.  02 aulas.  – Teoria e prática

2. Recursos: Apostila ou  Slides .

3. Método:  Aula expositiva – Trabalhar antes tópicos para chamar atenção dos alunos, fazendo perguntas.

4. Desenvolvimento da Aula.

1. Apresentar o tema da aula: Arte na Grécia.

2. Roda de conversa  e exercício.

3. Oficina de desenho: Escultura Grega – Apresentar os principais mestres da escultura clássica grega.

Dar para os alunos o texto abaixo sobre Escultura Grega.

A ARTE GREGA

Enquanto a arte egípcia é uma arte ligada ao espírito, a arte grega liga-se à inteligência, pois os seus reis não eram deuses, mas seres inteligentes e justos que se dedicavam ao bem-estar do povo.

Os principais mestres da escultura clássica grega são:

    Policleto, autor de Doríforo – condutor da lança, criou  padrões de beleza e equilíbrio

    Fídias, talvez o mais famoso de todos, autor de Zeus Olímpico, sua obra-prima, e Atenéia.

    Lísipo, representava os homens “tal como se vêem” e “não como são” (verdadeiros retratos). Foi    Lisipo que introduziu a proporção ideal do corpo humano com a medida de oito vezes a cabeça.

   Praxíteles, celebrado pela graça das suas esculturas, pela lânguida pose em “S” (Hermes com  Dionísio menino), foi o primeiro artista que esculpiu o nu feminino.

    Miron, autor do Discóbolo – homem arremessando o disco.

Escultura Grega.

Não é de hoje que as pessoas, de uma maneira geral, preocupam-se muito com os padrões de beleza considerados ideais. Por exemplo, a maioria das mulheres quer ter um corpo tipo “top model”, hoje, considerado o padrão ideal de beleza feminino. Mas, esses padrões de beleza mudam de acordo com a época. Em diversas fases da História da Arte, em especial o Renascimento e o Neoclassicismo e até mesmo hoje em dia nos desenhos de histórias em quadrinhos (Super-heróis), o ideal de beleza ainda é inspirado no cânone clássico greco-romano que se formou a partir de uma medida ideal de figura humana: o cânone das oito cabeças.

Cânone ou cânon é uma palavra de origem grega que significa regra, padrão, modelo ou norma. Um modelo seria proporcionalmente perfeito e tido como símbolo de beleza se apresentasse essa medida.

Assim, um corpo normalmente constituído poderá “conter” oito vezes a medida da cabeça do modelo (figura humana). O artista grego obedecia a essas regras para obter uma representação bem proporcionada do corpo do homem ou da mulher e assim eles criaram um sistema perfeito para fazer suas pinturas e esculturas.

Um escultor grego de grande importância – Lísipo (autor da estátua do Apoxiomenos) – ampliou a proporção para oito vezes o tamanho da cabeça. Assim:

  1. Cabeça (até o queixo)
  2. Pescoço até peito (da altura do queixo passando pelo pescoço até o peito)
  3. Peito até umbigo
  4. Abdome (umbigo até quadril/púbis)
  5. Quadril até metade das coxas
  6. Metade das coxas até o joelho
  7. Joelho até metade da perna (panturrilha)
  8. Panturrilha até dedos do pé (passa pela canela, calcanhar até chegar ao pé)

    Conheça nosso produto: Apostila para Aulas de Artes – Ensino Médio. 60 páginas.

Vista cansada

O Poder da Sensibilidade

O problema é que, de tanto ver, a gente banaliza o olhar.

É necessário usar, sensibilidade e intuição para que haja criatividade.

Hoje, decidi deixar essa cronica de Otto Lara Resende para você leitor (a) verificar o como você tem vivido sua sensibilidade.

Acho que foi o Hemingway quem disse que olhava cada coisa à sua volta como se a visse pela última vez. Pela última ou pela primeira vez? Pela primeira vez foi outro escritor quem disse. Essa ideia de olhar pela última vez tem algo de deprimente. Olhar de despedida, de quem não crê que a vida continua, não admira que o Hemingway tenha acabado como acabou.

Se eu morrer, morre comigo um certo modo de ver, disse o poeta. Um poeta é só isto: um certo modo de ver. O problema é que, de tanto ver, a gente banaliza o olhar. Vê não-vendo. Experimente ver pela primeira vez o que você vê todo dia, sem ver. Parece fácil, mas não é. O que nos cerca, o que nos é familiar, já não desperta curiosidade. O campo visual da nossa rotina é como um vazio.

Você sai todo dia, por exemplo, pela mesma porta. Se alguém lhe perguntar o que é que você vê no seu caminho, você não sabe. De tanto ver, você não vê. Sei de um profissional que passou 32 anos a fio pelo mesmo hall do prédio do seu escritório. Lá estava sempre, pontualíssimo, o mesmo porteiro. Dava-lhe bom-dia e às vezes lhe passava um recado ou uma correspondência. Um dia o porteiro cometeu a descortesia de falecer.

Como era ele? Sua cara? Sua voz? Como se vestia? Não fazia a mínima idéia. Em 32 anos, nunca o viu. Para ser notado, o porteiro teve que morrer. Se um dia no seu lugar estivesse uma girafa, cumprindo o rito, pode ser também que ninguém desse por sua ausência. O hábito suja os olhos e lhes baixa a voltagem. Mas há sempre o que ver. Gente, coisas, bichos. E vemos? Não, não vemos.

Uma criança vê o que o adulto não vê. Tem olhos atentos e limpos para o espetáculo do mundo. O poeta é capaz de ver pela primeira vez o que, de fato, ninguém vê. Há pai que nunca viu o próprio filho. Marido que nunca viu a própria mulher, isso existe às pampas. Nossos olhos se gastam no dia-a-dia, opacos. É por aí que se instala no coração o monstro da indiferença.

Verifique o seu olhar.

Maria de Lourdes Batista

WhatsApp chat